22°
Máx
17°
Min

Hamilton supera Rosberg na Alemanha, vence 4ª seguida e abre vantagem na ponta

Hamilton supera Rosberg na Alemanha e vence 4ª seguida

O alemão Nico Rosberg tinha a pole position e, diante de sua torcida, esperava recuperar a liderança do Mundial de Fórmula 1 neste domingo, no GP da Alemanha. O cenário parecia pronto para a reação do piloto da Mercedes, mas foi seu companheiro e grande rival, Lewis Hamilton, quem comemorou. De ponta a ponta, o tricampeão conseguiu uma belíssima vitória no Circuito de Hockenheim e abriu vantagem na liderança da temporada.

Foi o quarto triunfo consecutivo de Hamilton, o sexto nas últimas sete etapas, retrospecto que o fez superar uma desvantagem de 43 pontos para Rosberg. Depois de assumir a liderança na última etapa, na Hungria, é o inglês quem abre vantagem agora e vai para a pausa de verão na categoria com 19 pontos de frente para o rival alemão, que terminou em quarto neste domingo.

E mais uma vez, Rosberg entregou a vitória a Hamilton logo na saída. Com uma péssima largada, o alemão deixou a ponta e caiu para a quarta colocação, sendo ultrapassado, além de Hamilton, pelas Red Bulls de Max Verstappen e Daniel Ricciardo. O inglês aproveitou o presente do companheiro para liderar de ponta a ponta e conseguir uma vitória tranquila. Ricciardo chegou em segundo, com Verstappen completando o pódio.

Bem atrás da briga pelas primeiras colocações, os brasileiros tiveram um dia para esquecer em Hockenheim. Depois de largar em décimo, Felipe Massa sofreu desde a primeira volta, quando foi tocado por Jolyon Palmer, viu sua Williams não responder como queria após o choque e abandonou. Felipe Nasr também sofreu mais uma vez com o péssimo estado de sua Sauber e era o último colocado até também abandonar no fim.

Após esta 12.ª etapa, o Mundial de Pilotos tem Hamilton tranquilo na liderança, com 217 pontos, 19 a mais que Rosberg, o segundo colocado. A terceira posição é de Ricciardo, com 133, seguido por Kimi Raikkonen, com 122, e Sebastian Vettel, com 120. Massa é o nono, com 38, enquanto Nasr ainda não pontuou.

É assim que a Fórmula 1 vai para sua tradicional pausa de quase um mês no verão europeu. Os pilotos só voltaram à ativa no Mundial no fim de semana do dia 28 de agosto, quando acontecerá o GP da Bélgica, em Spa-Francorchamps.

A PROVA - A corrida deste domingo foi decidida logo na largada. Depois de um bom desempenho no treino de sábado, Rosberg começou na frente, mas voltou a sofrer com uma péssima saída e foi presa fácil para Hamilton, que tomou a frente. Verstappen também fez bonito e saiu da quarta para a segunda colocação, seguido por seu companheiro Ricciardo. Rosberg, então, era apenas o quarto.

Na briga particular entre ferraristas, Sebastian Vettel também largou bem e tomou a quinta posição de Kimi Raikkonen. Um pouco mais atrás, as coisas se complicaram para Felipe Massa. O brasileiro até conseguiu manter a décima colocação na primeira volta, mas foi atrapalhado por um toque de Palmer.

A Williams do brasileiro claramente havia perdido rendimento e rapidamente ele foi ultrapassado. Primeiro por Fernando Alonso, e depois por Carlos Sainz Jr. e Kevin Magnussen.

Com diferentes estratégias, os pilotos foram rápido para os boxes, e aí até parecia que Rosberg lutaria pelo pódio, após ultrapassar Verstappen e ocupar a quinta posição. Mas a direção da prova considerou o alemão culpado de tirar o rival da pista na manobra e o penalizou com cinco segundos a mais na próxima parada para pit stop. Uma falha da Mercedes ainda transformaria esses cinco segundos em oito, tirando qualquer chance do piloto de lutar pelas primeiras posições.

Com isso, Hamilton nadava de braçadas na liderança, sem que ninguém sequer o incomodasse. Ricciardo, em segundo, e Verstappen, em terceiro, também pareciam confortáveis com suas posições, o que deixou a corrida bastante previsível.

Bem mais atrás, Massa caia de rendimento a cada volta, até que na 38.ª, quando era o 15.º colocado, decidiu abandonar. Algum tempo depois, na 61.ª volta, Nasr seguiu o exemplo do compatriota e também levou sua Sauber de volta para os boxes.

Nas últimas voltas, a chuva chegou a Hockenheim, mas nem ela ameaçou a soberania de Hamilton. Sem grandes emoções nas primeiras posições, o destaque da reta final ficou para a bela briga de Sergio Pérez com Alonso. O mexicano conseguiu uma linda ultrapassagem sobre o espanhol e assumiu a décima posição para entrar na zona de pontuação.

Confira a classificação final do GP da Inglaterra:

1º - Lewis Hamilton (ING/Mercedes), em 1h30min44s200

2º - Daniel Ricciardo (AUS/Red Bull), a 6s996

3º - Max Verstappen (HOL/Red Bull), a 13s413

4º - Nico Rosberg (ALE/Mercedes), a 15s845

5º - Sebastian Vettel (ALE/Ferrari), a 32s570

6º - Kimi Raikkonen (FIN/Ferrari), a 37s023

7º - Nico Hulkenberg (ALE/Force India), a 70s049

8º - Jenson Button (ING/McLaren), a uma volta

9º - Valtteri Bottas (FIN/Williams), a uma volta

10º - Sergio Perez (MEX/Force India), a uma volta

11º - Esteban Gutierrez (MEX/Haas), a uma volta

12º - Fernando Alonso (ESP/McLaren), a uma volta

13º - Romain Grosjean (FRA/Haas), a uma volta

14º - Carlos Sainz Jr (ESP/Toro Rosso), a uma volta

15º - Daniil Kvyat (RUS/Toro Rosso), a uma volta

16º - Kevin Magnussen (DIN/Renault), a uma volta

17º - Pascal Wehrlein (ALE/Manor), a duas voltas

18º - Marcus Ericsson (SUE/Sauber), a duas voltas

19º - Jolyon Palmer (ING/Renault), a duas voltas

20º - Rio Haryanto (INA/Manor), a duas voltas

Não completaram:

Felipe Nasr (BRA/Sauber)


Felipe Massa (BRA/Williams)