24°
Máx
17°
Min

Mercedes mantém disputa entre pilotos liberada, mas pede melhor comportamento

Mercedes pediu um "comportamento melhor" dos seus pilotos na pista (Foto: Studio Colombo/ Pirelli)  - Mercedes mas pede melhor comportamento dos seus pilotos na pista
Mercedes pediu um "comportamento melhor" dos seus pilotos na pista (Foto: Studio Colombo/ Pirelli)

O mais novo incidente entre Lewis Hamilton e Nico Rosberg levou a Mercedes a se pronunciar nesta quinta-feira através de um comunicado oficial para garantir que não vai interferir nas decisões dos seus pilotos com ordens, assegurando a liberdade de ações deles. No entanto, pediu um "comportamento melhor" dos seus pilotos na pista.

No último domingo, Hamilton e Rosberg se tocaram em disputa pela liderança do GP da Áustria. E a praticamente certa "dobradinha" da Mercedes se transformou em vitória do piloto inglês e apenas a quarta colocação para o alemão. Nesta quinta, então, dirigentes da equipe se reuniram com seus pilotos para tratar do assunto.

"Nossos pilotos foram informados de que eles permanecem livres para competir pelo campeonato mundial", disse o comunicado da equipe após reuniões nesta manhã entre Hamilton, Rosberg, Toto Wolff e Paddy Lowe. "Acreditamos que esta é a essência da Fórmula 1, inclusive entre companheiros de equipe. Como competidores pilotos apaixonados, queremos vê-los correr, assim como os fãs da Fórmula 1. No entanto, essa liberdade vem com um dever para os nossos pilotos de respeitar os valores da equipe", acrescentou.

A Mercedes lembrou, porém, que o incidente da Áustria e também os ocorridos no Canadá e na Espanha provocaram a perda de muitos pontos pela equipe. Na Espanha, eles abandonaram a prova. Já no Canadá, Rosberg perdeu várias posições após toque com Hamilton.

"Nas últimos cinco corridas, houve três incidentes que nos custam mais de 50 pontos no campeonato de construtores. Temos, portanto, que fortalecer nossas regras de comportamento para incluir muito maiores restrições ao contato entre os nossos carros. Com isso no lugar, vamos confiar aos nossos pilotos para gerir a situação entre eles na pista. Seu destino está em suas próprias mãos", afirmou, alertando que poderá adotar ordens de modo mais costumeiro se problemas voltarem a se repetir.

"Os pilotos também foram lembrados de que nós podemos emitir instruções durante a corrida para nos protegermos contra uma potencial perda de pontos de construtores, como fizemos este ano no GP de Mônaco, quando Nico foi instruído a deixar Lewis passar. Se os pilotos não honrarem a revisão das regras de comprometimento, poderemos impor ordens de equipe como uma solução de último recurso", disse a Mercedes.

Assim, no próximo fim de semana, todas as atenções estarão mais uma vez voltadas para Hamilton e Rosberg, que dominaram as últimas temporadas da Fórmula 1, com 43 vitórias desde 2013, e que agora estão sob escrutínio da Mercedes para que a disputa por posições não se transforme em novos acidentes.