23°
Máx
12°
Min

MotoGP decide usar traçado da F1 em Barcelona após morte de piloto da Moto2

Sob o impacto do acidente fatal com o espanhol Luis Salom, ocorrido nesta sexta-feira na segunda sessão de treinos livres da Moto2, a MotoGP resolveu agir e, embora tenha descartado a possibilidade de cancelar o fim de semana da etapa da Catalunha, optou pela realização de modificações na configuração do traçado do circuito de Barcelona, adotando uma versão mais lenta.

De acordo com a MotoGP, a família de Salom, os pilotos, as equipes e a comissão de segurança decidiram por dar prosseguimento ao fim de semana de prova dela e das suas categorias de suporte, a Moto2 e a Moto3.

Na reunião com a Comissão de Segurança da MotoGP, que contou com as presenças dos pilotos Marc Márquez, Andrea Iannone, Pol Espargaró, Jack Miller, Bradley Smith, Alvaro Bautista, Aleix Espargaró, Andrea Dovizioso, Tito Rabat e Cal Crutchlow, ficou definido que será adotado no restante do fim de semana o layout utilizado na Fórmula 1.

Assim, a MotoGP abriu mão de curvas de alta velocidade, como a 12, na qual Salom sofreu o seu acidente fatal. Esse layout já foi utilizado em testes oficiais da categoria em 2014 e agora será mais uma vez usado, mas agora nos dois últimos dias de um fim de semana de corrida.

Para permitir que os pilotos se adaptem mais rapidamente ao novo traçado, a MotoGP decidiu ampliar o tempo dos treinos livres deste sábado da etapa da Catalunha, que antecederão a realização da sessão de classificação. A prova da principal categoria de motovelocidade do mundo continua agendada para as 9 horas (de Brasília) do domingo.