24°
Máx
17°
Min

Rosberg vence fácil na Rússia e alcança marca histórica com 7ª vitória seguida

Rosberg vence fácil na Rússia e alcança marca histórica com 7ª vitória seguida

Lewis Hamilton bem que tentou neste domingo, em uma exemplar corrida de recuperação na Rússia, mas não alcançou Nico Rosberg, vencedor do GP disputado no Circuito de Sochi. O piloto alemão da Mercedes fez história ao faturar sua sétima vitória consecutiva na Fórmula 1, incluindo os três triunfos obtidos no fim do ano passado. Nesta temporada, somente ele venceu na categoria. O inglês terminou em segundo, após largar em 10º, e o finlandês Kimi Raikkonen completou o pódio. Felipe Massa ficou em 5º.

Com suas sete vitórias, Rosberg se igualou à marca do compatriota Michael Schumacher, obtida em 2004, e do italiano Alberto Ascari, entre os anos de 1952 e 1953. À frente do trio está somente outro alemão, o piloto Sebastian Vettel, dono de nove vitórias seguidas, no ano de 2013.

Rosberg ainda ampliou a boa vantagem no Mundial de Pilotos. Com quatro vitórias nas quatro corridas disputadas em 2016, o alemão chegou aos 100 pontos, contra 57 do atual campeão Hamilton.

Entre os brasileiros, Felipe Massa largou em quarto lugar, sua melhor posição no grid deste ano, e terminou em quinto, sem conseguir acompanhar as Mercedes, a Ferrari de Raikkonen e a Williams do companheiro Bottas. Felipe Nasr saiu em 19º e finalizou a prova em 16º. Já os pilotos Fernando Alonso e Jenson Button, ambos da McLaren, faturaram seus primeiros pontos no campeonato.

A prova russa ainda contou com mais um atrito entre Vettel e o piloto local Kvyat. O russo atingiu novamente o alemão, duas vezes, logo na largada, e acabou causando a saída do tetracampeão da prova. Ao fim da corrida, Vettel não escondeu a irritação com o rival da Red Bull.

A corrida deste domingo foi marcada ainda por uma triste lembrança para os brasileiros. Foi a primeira prova da F1 disputada em um 1º de maio desde a morte de Ayrton Senna nesta mesma data no ano de 1994.

A CORRIDA - Sem sofrer ameaças, Nico Rosberg fez boa largada e garantiu a primeira posição. Valtteri Bottas até sustentou o segundo posto, mas logo já foi ameaçado por Kimi Raikkonen. Felipe Massa assegurou a quarta colocação. Os quatro primeiros colocados passaram ilesos de confusão que movimentou o pelotão intermediário e beneficiou Lewis Hamilton.

Ao fim da primeira curva, Sebastian Vettel foi atingido por trás duas vezes, em sequência, por Daniil Kvyat, que acabou sofrendo punição na sequência. O alemão girou e saiu da pista, não sem antes atingir outros pilotos. Hamilton, sem muita sorte neste início da temporada, conquistou cinco posições e saltou do 10º para o 5º lugar.

O salto foi ainda maior se levar em consideração que o inglês quase largou dos boxes neste domingo, por causa dos problemas de sábado. A Mercedes conseguiu trazer novos componentes para seu carro, em viagem de avião durante a madrugada, direto da fábrica, corrigindo falha no sistema de combustível e na unidade de potência. As mudanças não configuraram situação para causar punições ao inglês.

Hamilton também foi beneficiado pela entrada do safety car na pista, o que aproximou todos os pilotos novamente. Assim, encostou em Massa, quarto colocado. Na retomada da corrida, na quarta volta, o inglês foi para cima do brasileiro e não teve dificuldades para ganhar a posição.

Era questão de tempo para o tricampeão se aproximar do companheiro Rosberg, líder disparado da prova. Nesta busca, a segunda vítima foi Bottas, ultrapassado na 7ª volta. Hamilton se manteve na frente da dupla da Mercedes mesmo depois da primeira rodada de paradas nos boxes.

Com pneus macios, passou Raikkonen logo em seguida e assumiu o segundo lugar da prova. Último do pelotão dianteiro a parar, Rosberg manteve a primeira colocação após colocar novos pneus. O inglês, então, começou uma perseguição ao alemão. A cada volta, reduzia a diferença para o líder, quase um segundo por volta. Chegou a ficar a 10 segundos do alemão, até uma problema na pressão de água no seu carro freou seu crescimento.

Mesmo com a falha resolvida, Hamilton não conseguiu se aproximar de Rosberg e a expectativa por um confronto da Mercedes frustrou a torcida. Também não era ameaçado por Raikkonen, contra quem tinha vantagem de até oito segundos.

Massa, por sua vez, sustentou a quinta colocação com facilidade. Fernando Alonso, em sexto não reduziu a diferença de quase 40 segundos. O brasileiro até fez uma parada nas últimas voltas, sem sofrer ameaças. Ele terminou a prova a 34 segundos do companheiro Bottas, num final de corrida de raras emoções.

O mesmo aconteceu com o duelo que não aconteceu entre Rosberg e Hamilton. O alemão levou a bandeirada com 25 segundos de vantagem sobre o companheiro de Mercedes.

Felipe Nasr fez mais uma corrida discreta na temporada. Ele largou em 19º e saltou para o 12º, beneficiado pela confusão no pelotão intermediário. O ritmo da Sauber, contudo, não ajudou. O brasileiro chegou a perder posição para pilotos da Manor.

Depois, sofreu com um pneu furado e levou uma punição de cinco segundos nos boxes por um erro na curva 2. Cruzou a linha de chegada em 16º, duas posições atrás do companheiro de Sauber, o sueco Marcus Ericsson.

A próxima etapa da Fórmula 1 será disputada daqui a duas semanas. Com o GP da Espanha, no dia 15 de maio, terá início a chamada "temporada europeia" da categoria.

Confira a classificação final do GP da Rússia:

1º - Nico Rosberg (ALE/Mercedes), em 1h32min41s997

2º - Lewis Hamilton (ING/Mercedes), a 25s022

3º - Kimi Raikkonen (FIN/Ferrari), a 31s998

4º - Valtteri Bottas (FIN/Williams), a 50s217

5º - Felipe Massa (BRA/Williams), a 1min14s427

6º - Fernando Alonso (ESP/McLaren), a 1 volta

7º - Kevin Magnussen (DIN/Renault), a 1 volta

8º - Romain Grosjean (FRA/Haas), a 1 volta

9º - Sergio Pérez (MEX/Force India), a 1 volta

10º - Jenson Button (ING/McLaren), a 1 volta

11º - Daniel Ricciardo (AUS/Red Bull), a 1 volta

12º - Carlos Sainz Jr (ESP/Toro Rosso), a 1 volta

13º - Jolyon Palmer (ING/Renault), a 1 volta

14º - Marcus Ericsson (SUE/Sauber), a 1 volta

15º - Daniil Kvyat (RUS/Red Bull), a 1 volta

16º - Felipe Nasr (BRA/Sauber), a 1 volta

17º - Esteban Gutiérrez (MEX/Haas), a 1 volta

18º - Pascal Wehrlein (ALE/Manor), a 2 voltas

Não completaram a prova:

Sebastian Vettel (ALE/Ferrari)

Nico Hülkenberg (ALE/Force India)

Rio Haryanto (IDN/Manor)

Max Verstappen (HOL/Toro Rosso)