24°
Máx
17°
Min

Rosberg vibra com vitória e vantagem na ponta, mas avisa: 'Temporada não acabou'

(Foto: Studio Colombo / Pirelli) - Rosberg vibra com vitória e vantagem na ponta
(Foto: Studio Colombo / Pirelli)

O final de semana em Suzuka foi perfeito para Nico Rosberg. Após o bom desempenho apresentado nos treinos livres e a pole position conquistada, o alemão venceu o GP do Japão na madrugada deste domingo e ampliou a vantagem na liderança do Mundial de Pilotos da Fórmula 1. Após a corrida, o piloto da Mercedes vibrou bastante com o resultado, mas alertou que ainda não é hora de relaxar.

"Que final de semana maravilhoso! Foi ótimo desde que as luzes verdes se acenderam na sexta-feira. Eu tive um bom ritmo nos treinos, um forte qualificatório, uma largada decente e com a liderança eu pude controlar o ritmo da corrida", comentou. "Vim ao Japão para vencer e consegui, o que é muito especial. É um sentimento fantástico vencer nesse circuito lendário."

Rosberg venceu pela primeira vez, após a sua terceira pole em Suzuka, e abriu para 33 pontos (313 a 280) a vantagem em relação ao seu companheiro de equipe, o britânico Lewis Hamilton, que chegou em terceiro lugar e contribuiu com a conquista da Mercedes no Mundial de Construtores já neste domingo.

A quatro provas do final da temporada, Rosberg parabenizou a sua equipe, chamou os mecânicos para celebrar o título, mas avisou que ainda não pode fazer a festa que gostaria, pois a conquista individual precisa ser selada.

"Um grande parabéns a todos os meus colegas aqui no Japão, nas sedes de Brackley e Brixworth, e aos centenas de milhares de empregados da Daimler pelo terceiro título do Mundial de Construtores. Um enorme obrigado para cada uma das pessoas e todos os patrocinadores que fizeram isso possível. Eles merecem muito pelo inacreditável apoio durante os últimos anos, então vamos festejar bastante", comentou o alemão.

"Eu mesmo vou comemorar um pouco também, mas não muito. A temporada ainda não acabou, temos algumas provas pelo mundo, então preciso manter minha energia lá em cima. Agora precisamos focar nas quatro corridas que faltam", alertou o líder da Fórmula 1.

Para ser campeão, Rosberg pode até mesmo abrir mão de vencer corridas este ano. O mínimo que o alemão precisa é três segundos lugares e um terceiro para conquistar o título inédito em sua carreira.