22°
Máx
17°
Min

Barbosa corta três e define elenco com média de 30 anos para o Sul-Americano

Apesar da ausência da armadora Adrianinha, de 37 anos, que está lesionada, o Brasil terá um elenco de veteranas para a disputa do Campeonato Sul-Americano Feminino de Basquete. O técnico Antônio Carlos Barbosa anunciou a convocação da equipe para o torneio, que começa na próxima sexta-feira, com sete das 12 jogadoras na casa de 30 anos. A média de idade do time, aliás, é 30,2 anos.

"Conseguimos formar um grupo com jogadoras mais experientes, que acabaram dando estrutura para que as mais jovens tenham uma condição de jogo mais equilibrada até se personalizarem mais", comentou o treinador.

Ele inicialmente havia convocado um grupo de 15 jogadoras para um período de duas semanas de treinos em Campinas. Adrianinha e a ala Isabela Ramona, de 21 anos, foram cortadas por lesão. A garota foi diagnosticada com uma rotura do menisco, passará por cirurgia, mas deve voltar a tempo de treinar para o Rio-2016.

A outra jogadora cortada foi a armadora Babi, de 30 anos, que não fazia parte dos planos do técnico Luiz Zanon, a quem Barbosa substituiu. De resto, o grupo tem as armadoras Tainá e Joice, as alas Jaqueline, Iziane, Palmira, Patrícia e Tatiane e as pivôs Karina Jacob, Nádia, Êga, Kelly e Gilmara.

Na comparação com o grupo com o qual Zanon vinham trabalhando, a novidade é a presença da armadora Joice (de 29 anos), em detrimento a Tássia (23) ou Débora (24), a ala Palmira (31) na vaga da machucada Isabela Ramona (21) e da veteraníssima Êga (38) no lugar de Fabiana (25).

Para a Olimpíada, Antonio Carlos Barbosa ainda vai contar com as pivôs Clarissa, Damiris e Érika, que foram dispensadas desta primeira etapa da preparação. Damiris não ficou no grupo do Atlanta Dream para poder treinar com a seleção e deve aparecer na próxima convocação. Já Érika e Clarissa vão disputar a WNBA pelo Chicago Sky. O torneio só para em 22 de julho, a duas semanas dos Jogos.

Antes da convocação final para o Sul-Americano, que começa na sexta, na Venezuela, o Brasil fez três amistosos contra Cuba. Venceu todos, mas um deles apenas na prorrogação.