22°
Máx
16°
Min

LeBron lamenta saída de Varejão do Cavaliers: 'É a pior coisa do esporte'

(Foto: Divulgação)  - LeBron lamenta saída de Varejão do Cavaliers: 'É a pior coisa do esporte'
(Foto: Divulgação)

Astro da franquia, LeBron James tem voz ativa dentro do Cleveland Cavaliers. Mas o jogador não teria sido consultado sobre a saída de Anderson Varejão, considerado seu melhor amigo dentro do elenco. O brasileiro, numa troca tripla, foi repassado para o Portland Trail Blazers, clube que horas depois o dispensou.

Em entrevista após a vitória por 105 a 95 sobre o Chicago Bulls, em Cleveland, LeBron mostrou sua chateação. "Essa é a pior parte do esporte. Você perde um irmão, perde um companheiro", disse o astro do Cavaliers. "Mas eu aposto que ele tem muitas pessoas procurando por ele agora", completou.

Há 12 anos em Cleveland, o brasileiro jogou oito temporadas com LeBron James, participando de 445 partidas ao lado do astro norte-americano. Só o lituano Zydrunas Ilgauskas atuou mais vezes ao lado de LeBron durante a carreira.

A amizade entre LeBron e Varejão era tão grande que, quando deixou Miami para voltar a Cleveland, o astro disse: "não posso esperar para reencontrar Anderson, que é um dos meus colegas favoritos".

O brasileiro não queria deixar Cleveland, onde estava muito bem adaptado. Em janeiro, ele havia deixado isso claro: "Se eu for para qualquer outro lugar e vencer o campeonato, não vai ser a mesma coisa. Quero ser campeão em Cleveland. É aqui que eu quero ficar. Eu amo Cleveland".

Na NBA, entretanto, ao assinar contrato, o jogador tem um salário garantido, mas não pode escolher quem vai pagá-lo. Varejão vinha jogando muito pouco e o Cavaliers fez de tudo para trocá-lo por Channing Frye, do Orlando Magic. Só conseguiu a troca, nos últimos minutos da janela de transferências, envolvendo no negócio o Portland Trail Blazers.

Mas o time de Portland não tem interesse em contar com o basquete de Varejão, usando o jogador apenas para compor a folha salarial. Dispensado, o brasileiro fica no mercado por 48 horas. Se algum time quiser contratá-lo, precisa apenas pagar seu contrato de US$ 25 milhões de salário até a temporada 2017/2018.

Caso nenhuma equipe queira fazer uma proposta para o veterano de 33 anos, o Blazers terá que pagar este valor em cinco anos e o pivô fica livre para assinar com qualquer time, menos o próprio Blazers e o Cleveland Cavaliers. A tendência é que ele seja procurado por equipes que devem chegar aos playoffs e precisam de um elenco mais robusto.