23°
Máx
12°
Min

Seleção feminina arrasa a Venezuela e é campeã do Sul-Americano pela 26ª vez

(Foto: Divulgação)  - Seleção feminina arrasa a Venezuela e é campeã do Sul-Americano pela 26ª vez
(Foto: Divulgação)

Não tem para ninguém para a seleção brasileira feminina na disputa do Sul-Americano. Nesta quinta-feira, em Barquisimeto, na Venezuela, as comandadas do técnico Antonio Carlos Barbosa conquistaram o título da competição pela 26.ª vez em 35 edições, sendo 16 de forma consecutiva, ao derrotarem as donas da casa na decisão por fáceis 94 a 75 (55 a 25 no primeiro tempo).

A campanha do Brasil foi incontestável, mesmo com o baixo nível técnico das adversárias. Na primeira fase, vitórias tranquilas sobre Paraguai (128 a 35), Uruguai (115 a 42), Chile (104 a 54) e Colômbia (76 a 55). Na semifinal, um pouco mais de trabalho para passar pela Argentina por 73 a 57. As argentinas, aliás, ficaram em quarto ao perderam para as colombianas por 59 a 55. Os quatro primeiros colocados do Sul-Americano asseguraram vagas para a Copa América de 2017, que irá garantir três países no Mundial de 2018.

O Brasil não perde o Campeonato Sul-Americano desde 1984, quando poupou Paula e Hortência e perdeu da Colômbia em Cúcuta. Desde 2006, todas as finais foram contra a Argentina, tabu quebrado neste ano.

A conquista na Venezuela veio alguns dias antes da convocação, que será na terça-feira, para a Olimpíada do Rio, em agosto. O Brasil está no Grupo A e jogará contra Austrália, Japão e três seleções que sairão do Pré-Olímpico Mundial que será disputado em Nantes, na França, entre os dias 13 e 19 de junho. O Grupo B conta com Estados Unidos, Canadá, Sérvia e Senegal, além de duas nações classificadas pelo qualificatório.

A cestinha da partida decisiva foi a ala Iziane, que joga no Sampaio Corrêa e recentemente foi campeã brasileira com o clube do Maranhão, com 20 pontos. Ela ainda agarrou dois rebotes, deu quatro assistências e conseguiu uma roubada de bola.

Outros destaques foram a pivô Kelly Santos (19 pontos, quatro rebotes e uma assistência), a pivô Nádia Colhado com um "double-double" (dois dígitos em dois fundamentos) de 13 pontos e 12 rebotes, a pivô Karina Jacob (10 pontos, sete rebotes e três assistências), a ala Palmira Marçal (10 pontos) e a ala Tatiane Nascimento (também 10 pontos.

Aos 71 anos, o técnico Antonio Carlos Barbosa sagrou-se campeão sul-americano adulto pela nona vez invicto em 10 competições disputadas. E soma 57 vitórias em 58 partidas.