22°
Máx
17°
Min

Brasileiros perdem na semi do Pré-Olímpico de Boxe e ficam sem vaga

O dia decisivo do Pré-Olímpico das Américas de Boxe foi péssimo para o Brasil. Os três pugilistas brasileiros que subiram ao ringue nas semifinais desta quinta-feira foram derrotados e perderam a chance de assegurar a vaga no Rio-2016. Antes, outros três brasileiros já haviam sido eliminados do torneio, realizado em Buenos Aires.

O Brasil já tem sete pugilistas garantidos no Rio-2016, uma vez que Robson Conceição conquistou a vaga pelo Mundial Amador do ano passado e a Confederação Brasileira de Boxe (CBBoxe) já apontou os seis beneficiados pelos convites dados ao país-sede, sendo cinco no masculino e um no feminino.

Nas categorias que o Brasil não utilizou seu convite, o Pré-Olímpico de Buenos Aires oferece três vagas no masculino e duas no feminino, mas só o pesado Juan Nogueira (até 91kg) ainda está vivo. Ele perdeu a semifinal para Erislandy Savón, de Cuba, e volta ao ringue na sexta-feira para disputar o terceiro lugar.

No feminino, a leve Grazieli Jesus (49kg) e a peso médio Andréia Bandeira (75kg) foram derrotadas na semifinal por atletas canadenses, respectivamente Mandy Bujold e Ariane Fortin-Brochu, e vão embora de Buenos Aires sem a vaga olímpica. Mesmo assim, ainda fazem mais uma luta cada, no sábado, que pode acabar valendo um lugar na Olimpíada.

Isso porque o Mundial Feminino vai acontecer de 19 a 27 de maio, no Casaquistão, valendo quatro vagas por categoria. Caso uma atleta que conquistou a vaga olímpica em Buenos Aires volte a se classificar, abrirá espaço para a terceira colocada no torneio continental. Isso é muito provável que aconteça na categoria de Andréia, uma vez que a norte-americana Claressa Shields é atual campeã mundial, olímpica e pan-americana. A algoz de Andréia, aliás, também é candidata à final e vem de bronze em 2014.

No masculino a chance de Juan Nogueira é ficar em terceiro em Buenos Aires. Ainda vai ser realizado mais um Pré-Olímpico Mundial, em Baku, no Azerbaijão, em junho, mas as duas categorias mais pesadas vão distribuir apenas uma vaga. É que a chave olímpica delas têm só 18 atletas, contra 28 das demais.

Isso faz com que o superpesado Pedro Lima (+91kg) esteja muito longe da Olimpíada. Em Buenos Aires, ele perdeu logo na estreia para o cubano Lenier Justi e não alcançou a semifinal. O regulamento da Aiba para o Rio-2016 não permitia que o Brasil utilizasse seus convites nas categorias mais pesadas.

Os outros brasileiros que lutaram em Buenos Aires não foram bem. O médio Pedro Lima (75kg) caiu diante do equatoriano Mario Suarez, enquanto o meio-médio Roberto Custódio (69kg) foi derrotado por Jose Roman, de Porto Rico. Eles devem voltar a lutar no Pré-Olímpico de Baku, que vai distribuir cinco vagas nas respectivas categorias. Só que a Aiba pretende liberar que profissionais já lutem no Azerbaijão e Pedro Lima é da mesma categoria que Esquiva Falcão.