27°
Máx
13°
Min

Juan Nogueira vence repescagem e fatura vaga olímpica no boxe

O Brasil terá pelo menos oito representantes no boxe dos Jogos Olímpicos do Rio. Juan Nogueira, de 27 anos, venceu nesta sexta-feira uma espécie de repescagem no Pré-Olímpico das Américas, disputado em Buenos Aires, na Argentina, e assegurou sua presença olímpica no peso pesado, para atletas de até 91kg.

Será a primeira participação olímpica de Juan, pugilista paulistano que ficou a uma vitória da medalha no Mundial Amador de 2013. Em Buenos Aires, ele estreou vencendo o haitiano Arnaud Sony Jr e, na semifinal, caiu diante do talentoso cubano Erislandy Savón, vice-campeão mundial, para quem perdeu em luta parelha.

Como o Pré-Olímpico distribui três vagas no Rio-2016 por categoria, Juan ganhou o direito de fazer mais uma luta, contra o americano Cam Awesome, apesar de ambos terem garantido a medalha de bronze. Em mais uma luta emocionante, o brasileiro venceu por 2 a 1 e assegurou lugar na Olimpíada.

Além dele, o Brasil já tem outros sete pugilistas assegurados nos Jogos Olímpicos. O leve Robson Conceição conquistou a vaga nominal pelo quarto lugar no Mundial Amador do ano passado, enquanto outros seis boxeadores foram convocados pela Confederação Brasileira de Basquete (CBBoxe) graças aos convites dados ao país-sede: o mosca ligeiro Patrick Lourenço, o mosca Julião Neto, o galo Robenilson Jesus, o meio-médio ligeiro Joedison Teixeira, o Chocolate, e o meio-pesado Michel Borges, além da leve Adriana Araújo.

Em Buenos Aires, o Brasil teve outros cinco atletas que falharam na tentativa de classificação para o Rio-2016: Rafael Lima, Pedro Lima, Roberto Custódio, Grazieli Jesus e Andréia Bandeira.

Tanto Grazieli quanto Andréia perderam na semifinal e, fora da final, não faturaram as duas vagas que estavam em jogo em cada categoria feminina. Mesmo assim, elas voltam a lutar no sábado, numa repescagem que pode, depois, acabar valendo vaga olímpica. Caso uma atleta que obteve a classificação em Buenos Aires obtenha a vaga no Rio-2016 também pelo Mundial Feminino, que vai acontecer em maio no Casaquistão, ela abre lugar para a terceira colocada do Pré-Olímpico.

No caso de Andréia isso é muito provável que aconteça porque a norte-americana Claressa Shields, que ganhou a vaga olímpica em Buenos Aires, é favoritíssima ao bicampeonato mundial. De qualquer forma, as brasileiras ainda têm a chance de se classificar à Olimpíada chegando às semifinais do Mundial.

No masculino, em junho será realizado um Pré-Olímpico Mundial no Azerbaijão, que dará cinco vagas olímpicas nas oito categorias mais leves e apenas uma no peso superpesado, de Rafael Lima, e no peso pesado. Nessas duas categorias a chave no Rio-2016 terá só 18 atletas, contra 28 das demais.