24°
Máx
17°
Min

Ciclismo define critérios e coloca Renato Rezende e Avancini perto da Olimpíada

A Confederação Brasileira de Ciclismo (CBC) anunciou nesta sexta-feira os critérios de convocação dos atletas brasileiros de mountain bike e BMX para os Jogos Olímpicos do Rio-2016. A escolha será objetiva, levando em consideração apenas o ranking mundial. Desta forma, Renato Rezende e Henrique Avancini estão praticamente garantidos na Olimpíada.

Nas duas disciplinas, o ranking mundial de nações considera os resultados dos três melhores ciclistas do país. E é este ranking que define a divisão das vagas no Rio-2016. No mountain bike masculino, são três para os cinco primeiros do ranking, duas para os países colocados entre o sexto e o 13.º lugares e uma para os que ficarem entre o 14.º e o 23.º.

O Brasil atualmente é o 15.º colocado, por enquanto com direito a uma vaga no Rio-2016, precisando subir duas posições até 24 de maio, quando fecha o ranking. Com 923 pontos, Henrique Avancini é, de longe, o melhor brasileiro, seguido do veterano Rubens Donizete, de 36 anos, que tem 491 pontos, e de Ricardo Pscheidt, que soma 363.

Pelos critérios da União Ciclística Internacional (UCI), os resultados dos três contam para que o Brasil siga tentando levar dois atletas à Olimpíada. Um fatalmente será Avancini. Se Rubinho ou Ricardo alcançarem a pontuação do principal nome do mountain bike brasileiro, isso vai impactar no ranking de nações e o Brasil terá direito a duas vagas no Rio.

No BMX, quem está em situação confortável é Renato Rezende. O Brasil é 11.º colocado e dificilmente chega a 30 de maio, data em que fecha o ranking, entre os sete primeiros. Por isso, deverá ter direito a apenas um representante no Rio. Com 740 pontos, Renato tem boa folga sobre Anderson Ezequiel, que soma 314. Da mesma forma, caso seja alcançado pelo rival mais jovem, o Brasil ganha com isso.

No feminino o Brasil não vai bem. No BMX, ocupa o 16.º lugar, fora da zona de classificação, que é até o sétimo. Assim, vai depender do convite dado ao país sede. A beneficiada será a melhor do ranking, posto hoje pertencente a Priscila Carnaval, com 329 pontos. Bianca Quinalha vem pouco atrás, com 275.

Por fim, no mountain bike feminino, o Brasil é 13.º colocado, com chances remotas de subir até o oitavo lugar para garantir uma segunda vaga. A melhor do ranking é Raiza Goulão, com 1.006 pontos, seguida de Isabella Lacerda, que tem 810.

Nenhum brasileiro deverá chegar à Olimpíada como favorito a medalha no Rio-2016. No ranking mundial, Raiza é 18.ª, Avancini o 15.º, Renato Rezende o 14.º e Priscila a 33.ª.