24°
Máx
17°
Min

Brasileiro do taekwondo é suspenso por agredir rival e fica fora do Rio-2016

André de Oliveira Bilia, reserva brasileiro da categoria +80kg no tae kwon do, não poderá disputar os Jogos Olímpicos do Rio. O lutador de São Caetano do Sul foi suspenso por quatro competições pelo Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) da Confederação Brasileira de Tae Kwon do (CBTKD). Ele é acusado de agredir um rival durante a disputa da seletiva aberta, em dezembro do ano passado, em João Pessoa (PB).

A punição foi dada em primeira instância e os advogados dele ainda deverão recorrer da sentença. Caso ela seja mantida, o que tende a acontecer, André estaria cumprindo suspensão à época dos Jogos do Rio, o que impossibilitaria sua convocação, conforme o regulamento divulgado pela CBTKD. O titular da categoria é seu colega de equipe Maicon Siqueira, que o venceu na seletiva realizada mês passada.

André Bilia foi suspenso por oito competições, mas teve a punição reduzida a quatro. Gustavo Almeida, também da equipe de São Caetano, recebeu punição idêntica. Ele disputou o Mundial do ano passado na categoria até 68kg, mas não se manteve na seleção para 2016.

Já André é titular da seleção brasileira na categoria até 80kg (que não é olímpica) e é acusado de agredir William Matias da Silva durante a seletiva aberta. Ele e o assistente técnico Rafael Valério teriam encurralado William contra a parede do ginásio. Testemunhas afirmaram ao STJD que André deu um chute por trás na vítima, que depois recebeu uma cabeçada de Rafael. William também foi suspenso, por quatro competições (reduzida a duas).

A Confederação Brasileira de Tae Kwon do (CBTKD) ainda não se posicionou explicando se Guilherme Felix, terceiro colocado na seletiva, vai ficar como reserva para o Rio-2016. A ata do julgamento do STJD, publicada no site da entidade, contém todo o julgamento mas não cita a punição a André.