22°
Máx
16°
Min

Doping por Meldonium tira sete atletas da Olimpíada na luta

A União Internacional de Lutas (UWW, na sigla em inglês) anunciou nesta quarta-feira a retirada sete vagas que haviam sido distribuídas a partir dos torneios pré-olímpicos da Europa a da Ásia. Em todos os casos, os atletas que obtiveram as vagas foram flagrados em exames antidoping pelo uso da substância proibida Meldonium.

Testaram positivo o polonês Magomedmurad Gadzhiev, o ucraniano Andriy Kvyatkovskyy (ambos da luta livre até 65kg), o bielo-russo Yusup Jalilau, o também ucraniano Allen Zasieiev (os dois da luta livre até 125kg), Zhanarbek Kenzheev (do Quirguistão, da categoria até 85kg da greco-romana), a mongol Sumiya Erdenechimeg (luta feminina até 53kg) e Oksana Herhel, mais uma ucraniana, da até 58kg.

Essas respectivas vagas foram transferidas para Armênia, EUA, Bulgária, Sérvia, Índia, Índia (na greco-romana e na feminina até 53kg) e Moldova. O Brasil conseguiu classificar um número recorde de cinco atletas para a Olimpíada na luta, sendo quatro mulheres e um lutador na greco-romana. Em todas as vezes que foi aos Jogos, o Brasil teve só um representante.