22°
Máx
17°
Min

Fernandinho Mendonça é o campeão do primeiro Cablestock

Fernandinho Mendonça é o campeão do primeiro Cablestock

O estudante iguaçuense Luiz Fernando Mendonça (17), o Fernandinho, foi o campeão na categoria Open (Profissional) do primeiro Campeonato de Wakeboard da Fronteira realizado no último sábado (27) no Wake Iguassu Cable Park.

Apesar da pouca idade, Fernandinho já tem experiência no esporte. Há pelo menos três anos e meio ele pratica o wakeboard no Rio Iguaçu e no Lago de Itaipu.  “Comecei incentivado pelo meu irmão, que já praticava. A primeira vez que andei tinha uns 12 anos, daí parei e voltei a treinar para valer há pouco mais de três anos”, contou.

O bom desempenho do atleta deve-se, principalmente, ao ritmo de treinos. Hoje, Fernandinho pratica o wakeboard cinco vezes por semana no cable park, onde é utilizado um sistema  de cabos que puxam os atletas sobre suas pranchas de um lado a outro da lagoa, construída especialmente para a pratica esportiva.

Para ele, o apoio dos amigos e familiares também foi fundamental para o resultado. “Achei o evento muito top, estavam todos animados e vibrando a cada manobra, isso incentiva o atleta. Gostei muito do jeito que eu andei e estou satisfeito com a minha passada”, disse. O segundo colocado na categoria Open foi o atleta Fabrício Bernhardt, da Argentina, e Emanuel Nakamura, de Foz do Iguaçu, conquistou a terceira colocação.

Pratas da casa

O iguaçuense João Caetano Ferreira (28) conquistou dois títulos: 2º lugar na categoria intermediário e 3º lugar na Wakeskate. Para o atleta, que já participou de outros cinco campeonatos dentro e fora do estado, Foz do Iguaçu precisava de um evento como este para mostrar que o wakeboard não é mais um esporte elitizado. “O cable park facilitou a entrada de novos atletas e eventos como este ajudam a popularizar o esporte”, afirmou.

Ao todo, 35 atletas do Brasil, Paraguai e Argentina participaram do Cablestock divididos em cinco categorias: Open, Iniciante, Intermediário, Feminino e Wakeskate. Durante as disputas, cada competidor teve cerca de três minutos para percorrer os obstáculos e apresentar o melhor desempenho. Nesta competição, são avaliados o estilo do atleta e a variação, a intensidade, a altura e a distância das manobras.

Paraquedismo

Além das competições, que ocorreram ao longo da tarde, o público pôde participar de oficinas de slackline, stand up paddle e caiaques. O pouso de dois paraquedistas da SkydiveFoz na lagoa do cable park também chamou atenção. Com a performance, o paraquedista Felipe Hardt, o Caverinha, contabilizou o salto de número 4 mil da carreira. Apresentações musicais seguiram ao longo do dia e uma grande festa com banda de reggae e grupos de rap encerrou a programação.

Preparação

Conforme explicou o produtor executivo da ADERE, Marcelo Penayo, o primeiro Cablestock foi um evento preparatório para o Itaipu Wake Pro – Sudamerica, previsto para os dias 21, 22 e 23 de outubro em Foz do Iguaçu. “Temos um bom público e Foz tem todas as condições de fomentar este esporte e fazer cada vez mais eventos”.

O presidente da ADERE, Raby Khalil lembra que a união dos esportes - como o slackline, o sup, o caiaque e o wakeboard – também tem contribuído para o desenvolvimento turístico da região. “Conseguimos transformar a região dos municípios lindeiros ao Lago de Itaipu em polo de referência de práticas e esportes alternativos e radicais, propagando o estilo de vida ao ar livre”, comentou. O campeonato foi promovido pela Wake Iguassu Cable Park e a Associação de Desenvolvimento de Esportes Radicais e Ecologia (ADERE).

Colaboração: Thays Petters / Assessoria