27°
Máx
13°
Min

Acusado de fraude fiscal, Messi não comparece a 1º dia de julgamento em Barcelona

(Foto: Marcello Casal Jr/ Agência Brasil) - Acusado de fraude fiscal, Messi não comparece a 1º dia de julgamento em Barcelona
(Foto: Marcello Casal Jr/ Agência Brasil)

O julgamento de Lionel Messi, sobre a acusação de fraude fiscal na Espanha, começou nesta terça-feira, em Barcelona. O camisa 10 do clube catalão e da seleção argentina responde pelo suposto não pagamento correto de 4,1 milhões de euros em impostos sobre seus ganhos com direitos de imagem entre 2007 e 2009.

Messi não compareceu à corte neste primeiro dia, porém ele foi intimado a depor na quinta-feira. A sentença deve ser anunciada apenas na próxima semana. Com o depoimento, o astro perderá parte da preparação da seleção argentina para a Copa América Centenário, que acontece neste mês de junho, nos Estados Unidos. Os argentinos estrearão na competição na próxima segunda-feira, contra o Chile.

"A intenção do sr. Lionel Messi era comparecer ao plenário, mas ele sofreu uma lesão (nas costas)", afirmou Javier Sanchez-Vera, advogado do argentino, que chegou a apresentar um laudo médico na corte para justificar a ausência do seu ilustre cliente.

O principal acusado no caso é seu pai, Jorge Horacio Messi, mas o jogador também foi acionado. A Justiça espanhola até admite que o atleta não conhecesse por completo a dedução de impostos, mas acredita ser impossível que ele não tenha ciência do esquema armado com empresas fantasmas para evitar o Fisco e assim supostamente pagar menos dividendos deduzidos de seus ganhos.

Caso sejam sentenciados, Lionel e Jorge Messi podem pegar 22 meses e 15 dias de prisão. Além disso, correm o risco de serem obrigados a ressarcir os cofres espanhóis com a quantia fraudada.

Antes de Messi, Javier Mascherano, também do Barcelona, foi julgado por fraude fiscal na Espanha. O zagueiro argentino foi sentenciado a um ano de prisão, que não precisará cumprir na cadeira, e ao pagamento de uma multa de 800 mil euros pelo não pagamento de 1,5 milhão de euros em impostos.

Os brasileiros Neymar e Adriano, companheiros de Messi no Barcelona, e Xabi Alonso, atualmente no Bayern de Munique, mas que enfrenta processo pelo período em que jogava pelo Real Madrid, são outros atletas processados por fraude fiscal à Fazenda espanhola.