27°
Máx
13°
Min

Ainda em obras para o Rio-2016, Engenhão é oficialmente entregue

Um dos principais palcos dos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, o Engenhão foi reaberto oficialmente nesta quinta-feira, mas ainda inacabado. E, apesar de ter uma nova pista de atletismo e ter tido boa parte de sua estrutura interna reformada, o estádio não ficará do jeito que gostaria o Comitê Olímpico Internacional (COI), como afirmou o próprio prefeito do Rio, Eduardo Paes.

Antes de entregar simbolicamente a chave do estádio para o presidente do Comitê Rio-2016, Carlos Arthur Nuzman, o prefeito fez um breve pronunciamento em que deixou claro que nem tudo o que foi pedido pelos organizadores da Olimpíada foi atendido.

"O estádio levou um banho de loja. Não um banho de loja padrão COI, porque eles queriam que eu pintasse até as colunas, mas a pintura custava R$ 3 milhões e eu achei que não valia a pena gastar isso", afirmou o prefeito. "Mas nós demos um banho de loja, com alteração de banheiros, de elevadores, de ar-condicionado, equipamentos de proteção contra incêndio e sonorização."

Construído para os Jogos Pan-Americanos de 2007, o Engenhão fechou as portas em março de 2013 após um laudo apontar risco de queda da cobertura. Um reforço na estrutura precisou ser realizado, a um custo estimado de R$ 100 milhões.

"Durante esses últimos anos ele (estádio) acabou apresentando um desafio maior do que nós esperávamos. Nós tivemos um problema na cobertura, que obrigou o estádio a ficar fechado por quase dois anos. O problema está resolvido", assegurou o prefeito.

Para os Jogos do Rio, outros R$ 52 milhões estão sendo gastos. O valor foi utilizado na instalação da nova pista de atletismo e de 15 mil assentos temporários, que ainda estão sendo instalados atrás dos gols. O Engenhão receberá o campeonato Ibero-Americano de Atletismo neste fim de semana, competição que servirá de evento-teste para a Olimpíada. Para a competição, o acesso de público será limitado a três mil pessoas.