24°
Máx
17°
Min

Alvo de críticas, gramado da arena do Palmeiras é reforçado e promete ser melhor

O processo de troca do gramado teve início no dia 21 de dezembro do ano passado e foi finalizado em 11 de janeiro (Foto: Thiago Fatichi/ Allianz Parque) - Alvo de críticas, gramado da arena do Palmeiras é reforçado e promete ser melhor
O processo de troca do gramado teve início no dia 21 de dezembro do ano passado e foi finalizado em 11 de janeiro (Foto: Thiago Fatichi/ Allianz Parque)

Um dos maiores motivos de reclamação em relação ao Allianz Parque, o gramado do estádio do Palmeiras será elogiado nesta temporada. Pelo menos é isso o que garantem os representantes do estádio do campo alviverde. Nesta quinta-feira foi "apresentado" o campo reformado e a promessa é a de que ele suporte de forma mais eficiente a carga de shows e jogos neste ano.

O processo de troca do gramado teve início no dia 21 de dezembro do ano passado e foi finalizado em 11 de janeiro. No total, a WTorre, construtora responsável pela arena, investiu R$ 300 mil na reforma. Por causa da mudança do terreno, a partida contra o São Bento teve que ser disputada no estádio do Pacaembu, já que o campo ainda não estava com a grama totalmente fixa.

Segundo Fábio Câmara, engenheiro agrônomo da World Sports, empresa que cuida do gramado da arena, o tipo de grama será o mesmo utilizado no ano passado e a diferença principal será a forma de fixação. "Se implantou o mesmo tipo de grama, mas a diferença é que foram utilizados rolos de gramas lavados. Queríamos desde o início utilizar esse sistema, porque o campo fica mais enraizado e em melhores condições para jogos e eventos", disse o engenheiro.

A nova grama passou por uma evolução genética para suportar áreas de sombra e ter melhores condições de jogo. Foram utilizados 16 caminhões e três toneladas de fertilizantes no campo alviverde. O terreno ficará 100% fixo dentro de um ano. Entretanto, é possível utilizar o campo neste período sem problemas. "O gramado vai estar em condição tranquila (para o jogo de sábado, contra o Linense)", assegura Fábio Câmara.

Com a alteração, caso um pedaço da grama seja danificada, será possível a troca de uma forma muito mais prática e rápida. "A ideia de trocar o gramado foi para melhorar neste aspecto e fazer com que o tempo (de recuperação) seja mais curto e o processo de troca, se necessário, mais rápido. Será possível substituir pequenas partes do gramado", explicou Alexandre Costa, gerente do estádio.

Está sendo também construído no próprio estádio um espaço de cerca de 500 metros quadrados para a criação de um viveiro de grama. "O investimento global pode chegar a R$ 1 milhão. O da troca foi de R$ 300 mil. Temos um plano de viveiro que estamos construindo no estádio e que faz parte do investimento", explicou Costa.

Apesar das mudanças, algo que os responsáveis pelo gramado e estádio não puderam assegurar que irá melhorar é a questão da coloração mais amarelada do gramado quando o Palmeiras joga logo depois da realização de um show no local. "Do visual é difícil de falar. Vai depender de quanto tempo (o gramado) ficar coberto e o clima. Mas o visual não deve ser a maior preocupação, mas, sim, o cuidado com atletas para evitar lesões e em relação a isso estamos tranquilos", disse Fábio.

O Palmeiras reestreia em sua casa nesta temporada no sábado, quando enfrenta o Linense, às 17 horas, pelo Campeonato Paulista.