22°
Máx
16°
Min

Ameaçado de rebaixamento, Inter vai ao STJD contra o Vitória

MARINHO SALDANHA

PORTO ALEGRE, RS (UOL/FOLHAPRESS) - O Internacional ingressou no STJD (Superior Tribunal de Justiça Desportiva) na tarde desta quinta-feira (01) com manifestação oficial sobre a possível inscrição irregular do zagueiro Victor Ramos, do Vitória. A ideia do clube gaúcho é que o time baiano perca pontos na classificação e, assim, acabe rebaixado.

Restando uma rodada para o final do Brasileiro, o Inter soma 42 pontos e está na zona de rebaixamento. O Vitória é o 15º colocado, com 45 pontos, um a mais do que o Sport, 16º colocado e que também tenta evitar o descenso.

Advogados do Inter estão no Rio de Janeiro para tratar do caso de perto. O clube apresentou documentos para anexar ao processo já existente do Bahia contra o Vitória.

Em junho, a denúncia apresentada no STJD foi arquivada. O Bahia ingressou com embargo após o procedimento, e o arquivo foi reaberto logo em seguida. Atualmente, o andamento do recurso está parado no tribunal.

Segundo o Inter, a documentação anexada nesta quinta comprova a irregularidade na inscrição do atleta rubro-negro. O Inter pede que o Vitória seja punido e perca os pontos de 26 partidas do Campeonato Brasileiro em que o zagueiro atuou, o que levaria o time baiano ao rebaixamento.

No STJD, o caso é considerado como encerrado. O entendimento dos procuradores é que apenas um fato novo poderá fazer a denúncia ser retomada.

A CBF também já se manifestou e garantiu que, sob sua ótica, Victor Ramos está inscrito corretamente. O Vitória engrossa o coro.

Com a manifestação entregue recentemente, a procuradoria ainda não se manifestou. Irão receber os documentos e têm prazo de três dias úteis para aceitar ou não que eles sejam incluídos no processo.

O CASO

Victor Ramos estaria irregular por conta de sua transferência para o Vitória logo após o final de seu empréstimo ao Palmeiras, pelo qual jogou o Brasileiro 2015. Ramos tem seus direitos ligados ao Monterrey, do México, e, quando de sua transferência do Palmeiras para o Vitória, o rito na negociação não seguiu as recomendações do sistema TMS – Transfer Market System, ou Sistema de Mercado de Transferências, em tradução livre. Na ocasião, de acordo com o sistema, a transferência partiu direto do clube paulista para o baiano, quando o procedimento padrão deveria ser feito pelos mexicanos.

Legalmente, o contrato de Victor Ramos com o Palmeiras se encerou em 31 de dezembro de 2015, com o contrato com o Vitória começando no dia 1º de fevereiro de 2016. Durante o mês de janeiro, Victor Ramos não teve registro de retorno ao México. A presença do Palmeiras nos sistemas da Fifa caracterizaria, assim, a transferência direta entre os clubes brasileiros.

Não há qualquer risco de irregularidade em relação ao Palmeiras, que teve vínculo encerrado com o atleta e não está envolvido ativamente em nenhum trâmite. A transferência direta pelo clubes Brasil teve como objetivo evitar custos operacionais.