27°
Máx
13°
Min

Após final do Alagoano, torcedores de CRB e CSA brigam em campo e 2 ficam feridos

Torcedores do CSA (Centro Sportivo Alagoano) e do CRB (Clube de Regatas Brasil) entraram em conflito em pleno estádio Rei Pelé, em Maceió, neste domingo, ao final da partida que definiu o CRB como campeão alagoano de 2016. Depois de invadirem o gramado, tão logo o árbitro apitou o fim da partida, dezenas de torcedores de ambas as torcidas travaram uma batalha dentro do campo. O gol do título foi marcado aos 46 minutos do segundo tempo.

Pelo menos dois torcedores saíram feridos gravemente e foram transferidos para o hospital Geral do Estado, que fica localizado em frente ao estádio. Imagens de televisão mostraram um torcedor do CRB sendo agredido por pelo menos 10 torcedores do time adversário. Torcedores que presenciaram as agressões denunciaram que os policiais militares que estavam fazendo a segurança da partida demoraram para conter os agressores.

Segundo testemunhas que estavam presentes no estádio, as agressões foram iniciadas pelos torcedores do CSA, que estariam revoltados com a derrota para o CRB - o maior rival no futebol de Alagoas. Procurada, a Polícia Militar não quis se manifestar sobre o incidente.

Brigas entre as torcidas do CSA e CRB são frequentes em Alagoas. Não por acaso, o Ministério Público de Alagoas determinou, no início do campeonato deste ano, que os jogos entre os dois times fossem monitorados pela Polícia Militar, o que não impediu as agressões deste domingo. Nas redes sociais, torcedores do CSA comemoraram as agressões. "Raça da peste essa bubônica de CSA. Time do cão", escreveu um internauta. "Mas pelo menos a torcida matou um comédia", emendou outro.

CSA e CRB fizeram a final do Campeonato Alagoano deste ano. Na primeira partida, realizada no domingo passado, o CRB venceu por 2 a 0, tendo direito de perder o jogo deste domingo por até um gol de diferença. O jogo acabou com a vitória do CRB, com gol de Neto Baiano aos 46 minutos do segundo tempo. A reportagem tentou entrar em contato com a Federação Alagoana de Futebol, que não quis comentar o episódio.