28°
Máx
17°
Min

Após pedido do Vasco, Ferj diz que não punirá Flamengo e Fluminense

O Vasco desejava ver Flamengo e Fluminense perderem as cotas de TV referentes ao Campeonato Carioca, mas não foi atendido na sua tentativa de puxada de tapete. A Federação de Futebol do Estado do Rio (Ferj) recusou os argumentos de Eurico Miranda e já avisou ao clube cruzmaltino que não vai punir Fla e Flu por participarem da Copa Sul-Minas-Rio, como queria o dirigente vascaíno.

"A Ferj autorizou a participação de seus filiados da Série A (Campeonato Carioca) em disputas amistosas, desde que realizadas em datas não conflitantes com as do Campeonato Estadual. Considerando a indicação do próprio clube (o Flamengo) de que a partida contra o América-MG (na quarta-feira passada) seria disputada em caráter amistoso, não vemos, pelo menos até o momento, razões para a aplicação de sanções aos clubes", explicou a Ferj em ofício ao Vasco.

Eurico Miranda é aliado político de Rubens Lopes, presidente da Ferj, e, junto com o Botafogo e os demais clubes pequenos do Rio conseguiu que a entidade aprovasse, em assembleia geral e no Arbitral do Campeonato Carioca, restrições à participação dos associados em competições interestaduais.

A Copa Sul-Minas-Rio começou em caráter amistoso, com apenas duas partidas por clube autorizadas pela Confederação Brasileira de Futebol (CBF), que inicialmente acatou os argumentos da Ferj, mas acabou liberado pela entidade máxima do futebol brasileiro. Fora do calendário nacional, a competição é considerada amistosa. E a Ferj, conforme aprovado no Arbitral, tem autonomia para aprovar a participação de filiados em jogos amistosos.

Pelo mostrou a Ferj ao Vasco em documento também publicado no site oficial da federação, o Flamengo pediu autorização para jogar um amistoso contra o América-MG na quarta-feira, ressaltando que não havia rodada do Campeonato Carioca marcado para a data. Burocraticamente, a Copa Sul-Minas-Rio não existe e o Flamengo, assim como o Fluminense, apenas está disputando amistosos.

Esse entendimento jurídico faz cair por terra o argumento de Eurico Miranda, que cobrava da Ferj uma punição a Flamengo e Fluminense com base no que decidiu o Arbitral da Ferj em janeiro. À época, os clubes decidiram que a Ferj só autorizaria a participação de filiados em torneios interestaduais se o mesmo cumprisse três critérios: não coincidisse com o Carioca, estivesse no calendário da CBF e fosse organizada pela CBF.

Como para a Ferj, burocraticamente, a Copa Sul-Minas-Rio não existe, vale apenas a necessidade de autorização da Ferj para amistosos. Assim, Flamengo e Fluminense não correm o risco de receber a punição prevista naquela assembleia geral: a perda da cota de TV do Campeonato Carioca e a exclusão de todos os torneios das categorias de base deste ano.

O Flamengo chegou a anunciar que jogaria o Carioca com um time reserva, mas voltou atrás da decisão alegando que não queria prejudicar um parceiro comercial - no caso, a Globo.

De fato, não compensa para o Flamengo jogar o Campeonato Carioca. Sem poder utilizar o Maracanã e o Engenhão, reservados para a Olimpíada, o clube rubro-negro tem jogado em estádios pequenos no Estadual e atraindo público ínfimos. Em três jogos contra pequenos, teve renda líquida de R$ 55 mil. Só em um jogo da Sul-Minas-Rio no Espírito Santo, quarta, contra o Criciúma, lucrou 14 vezes mais: R$ 750 mil.