21°
Máx
17°
Min

Após temer não poder voltar a trabalhar, Ricardo Gomes festeja 1 ano de Botafogo

Quando assumiu o Botafogo, o treinador estava sem dirigir uma equipe desde 2011 (Foto: Agência O Dia) - Ricardo Gomes festeja 1 ano de Botafogo
Quando assumiu o Botafogo, o treinador estava sem dirigir uma equipe desde 2011 (Foto: Agência O Dia)

Ricardo Gomes, que chegou a ter a continuidade da sua carreira colocada em dúvida por causa de graves problemas de saúde, está comemorando nesta sexta-feira um ano de trabalho no comando do Botafogo. O técnico comandou a equipe em quase toda a campanha que resultou no título da Série B do Campeonato Brasileiro do ano passado e o consequente retorno à elite nacional, assim como levou o time à final do último Campeonato Carioca mesmo com um elenco reconhecidamente limitado em mãos.

Quando assumiu o Botafogo em 2015, o treinador estava sem dirigir uma equipe desde 2011, quando sofreu um novo acidente vascular cerebral e precisou passar por uma longa recuperação. O próprio comandante admite que não sabia se poderia aceitar o desafio de dirigir o time botafoguense, tendo em vista os riscos que a profissão poderia trazê-lo em um momento de muita incerteza para ele.

"Fique surpreso. Eu estava com algumas dúvidas em relação à minha recuperação, se seria capaz de desenvolver meu trabalho da melhor forma. Eu não sabia se teria condições de ajudar. Conversei com a minha família, me encontrei com o presidente, passei minha situação e ele resolveu apostar. Sou muito grato por isso", ressaltou Ricardo Gomes, por meio de declarações publicadas nesta sexta pelo site oficial do Botafogo.

O treinador lembra que até hoje ainda não consegue falar de maneira totalmente normal, tendo em vista as sequelas provocadas pelo AVC, e isso ficou claro desde a apresentação oficial do treinador. E ele agora comemora o fato de ter conseguido superar as dificuldades neste período, assim como a própria desconfiança de torcedores e do próprio grupo de jogadores, preocupados com o estado de saúde.

"Aos poucos fui pegando a confiança de antes do AVC. Hoje estou falando um pouco melhor. Os movimentos estão bem melhores. Mas o mais importante não é a minha pessoa. É o Botafogo. O Botafogo está crescendo. As coisas estão melhorando. Ano passado conseguimos o acesso para a Série A. Este ano, tivemos oscilações no início do Campeonato Brasileiro. Estamos evoluindo. Fisicamente e tecnicamente. O caminho é longo para colocar o Botafogo em um lugar digno de sua história. O lugar da tabela que estamos não condiz com a grandeza do Botafogo. Então vamos seguir trabalhando", ressaltou o comandante.

O treinador também fez questão de agradecer pela confiança depositada no seu trabalho, sendo que ele vinha de um histórico de passagens pelo comando dos rivais Fluminense, Flamengo e Vasco, assim como pelo Flu ele também foi um jogador de grande sucesso na década de 1980. "Fui muito bem recebido pela torcida do Botafogo. Isso foi muito bom. Diretoria, comissão técnica e jogadores também. Me ajudaram muito. Foram muito importantes nessa minha volta ao futebol", disse Ricardo Gomes.

PROPOSTA PARA SAIR E PERMANÊNCIA - Ricardo Gomes ainda lembrou que poderia ter deixado o Botafogo no início deste ano, quando recebeu uma proposta para assumir o Cruzeiro, mas preferiu dar continuidade ao seu trabalho no clube carioca. E ele agora garante não ter se arrependido de sua escolha.

"A gente reclama no Brasil sobre a falta de estabilidade do treinador. Eu recebi uma proposta para sair. Mas não seria bom para mim, nem para o Botafogo. O que vale é o trabalho que vem sendo feito. Resolvi apostar nisso. O clube resolveu apostar em mim. Aqui tenho relacionamento com jogadores e comissão técnica. Este entendimento faz a diferença e tem que ser alimentado", enfatizou.