22°
Máx
16°
Min

Apresentado, Falcão pede 'carinho' da torcida e promete que Inter será ofensivo

Foto: Alexandre Lops/ Internacional  - Falcão é apresentado no Inter e pede carinho da torcida
Foto: Alexandre Lops/ Internacional

O Internacional optou novamente por um grande ídolo, prata da casa, para assumir o comando do time. Na tarde desta quarta-feira, Paulo Roberto Falcão foi apresentado como novo técnico do clube gaúcho, que está há seis jogos sem vencer. O presidente Vitório Piffero, sem detalhar valores, explicou que optar por assinar um contrato de um ano, mesmo que isso supere o período do seu mandato. "O contrato do Falcão vai até julho do ano que vem. Ultrapassa minha gestão, mas, pelo nome, não vejo problema", avaliou.

Essa será a terceira passagem dele como técnico do clube. Tricampeão brasileiro como jogador, foi campeão gaúcho como treinador em 2011. Sem clube desde a saída do Sport, em abril, Falcão assume a equipe dois dias depois da demissão de Argel, que deixou o Inter na nona colocação do Campeonato Brasileiro, com 20 pontos, a nove do líder e a três do G4.

Na primeira empreitada como treinador, em 1993, em 14 jogos, conseguiu cinco vitórias, cinco derrotas e quatro empates. Já na segunda oportunidade, em 2011, conquistou a taça do Campeonato Gaúcho dentro do Olímpico, com uma vitória nos pênaltis. Foram 19 jogos, com oito vitórias, cinco empates e seis derrotas.

"É muito gratificante voltar ao Inter. Tenho a noção exata do tamanho do desafio. As coisas na minha vida nunca foram fáceis. Sempre foi uma provação. Então não será nada de diferente agora", afirmou Falcão.

Durante a entrevista coletiva, Falcão destacou que o grande objetivo dele é colaborar com o clube através da experiência que possui. "Temos que sempre olhar para frente. É preciso montar um esquema que possa ajudar os jogadores que você tem. Que possamos tirar deles o que eles têm de melhor. Gosto de time que jogue bola. No momento, a ideia é mexer o menos possível, porque domingo tem jogo contra o líder", resumiu.

Falcão prometeu que apostará em um estilo de jogo ofensivo na equipe do Inter. "Gosto de um time que jogue para frente. O chutão no futebol é uma ilusão que dura 10 segundos, pois a bola acaba voltando. Então é preciso trabalhar muito para ter aproximação e boa compactação. O desafio é colocar isso em prática, pois este modelo é o desejo de todo treinador", comentou.

E para a equipe superar o momento difícil, Falcão pediu mais apoio da torcida. "Todo mundo sabe que o torcedor é o aspecto mais importante do Clube. O carinho do torcedor que faz o jogador dar o algo mais, o seu plus. Claro que é preciso jogar com qualidade, mas a torcida tem uma papel fundamental. Agora, para domingo, não tem como fazer muitas modificações. A principal delas é que a torcida apoie o time, leve carinho ao Beira-Rio. Precisamos os torcedores ao nosso lado", afirmou.

Depois da coletiva e de ser recebido pela torcida, o ídolo do Inter comandará o primeiro treino do time, que enfrentará o Palmeiras, líder do Campeonato Brasileiro, no próximo domingo, dia 17, às 16 horas, no Beira-Rio, em Porto Alegre. Aliás, a data de reestreia tem sabor especial para Falcão, pois nesse mesmo dia, há cinco anos, ele havia sido demitido do clube, após ser eliminado pelo Peñarol da Copa Libertadores, e perder para o São Paulo por 3 a 0, em Porto Alegre.