22°
Máx
14°
Min

Apresentado no Coritiba, Carpegiani promete “trabalho e empenho”

(Foto: Robson De Lazzari/Rede Massa) - Apresentado no Coritiba, Carpegiani promete “trabalho e empenho”
(Foto: Robson De Lazzari/Rede Massa)

O Coritiba apresentou na tarde desta sexta-feira (5) o novo treinador da equipe Coxa-Branca. A partir de hoje, Paulo César Carpegiani vai assumir o comando técnico alviverde, com a missão de livrar o time do Alto da Glória da zona do rebaixamento.

De acordo com o presidente do clube, Rogério Bacellar, a comissão técnica permanece a mesma. Com isso, Pachequinho deixa o cargo de técnico e vai auxiliar o trabalho de Carpegiani, que está em sua terceira passagem pelo Verdão.

“É uma satisfação retornar ao Coritiba, um grande clube. Uma grande responsabilidade. A gente promete muito trabalho, empenho e seriedade. E a convicção de que vamos recuperar muitas coisas”, afirmou o treinador, que não trabalha desde 2013, quando comandou a Ponte Preta.

Carpegiani chega com contrato até o final do ano. No domingo, quando o Coritiba enfrenta exatamente a Ponte Preta, o treinador vai estar ao lado de Pachequinho no banco de reservas. “Vai ser um jogo que temos obrigação de buscar um resultado”, afirmou.

Durante a entrevista coletiva, o técnico falou sobre um defeito que gosta de possuir. “Sou muito perfeccionista, muito cobrador. Um defeito que não tiro de mim.” Segundo ele, o apoio da torcida vai ser essencial. “Contamos com o apoio total da nossa torcida. Vamos tentar buscar junto com a torcida bons resultados”, enalteceu.

Segundo ele, o torcedor poderá ver um Coritiba organizado e com garra para buscar as vitórias na competição. “O torcedor vai ter a possibilidade de ver uma equipe que vai se impor dentro de campo. Temos que ganhar o torcedor com bom futebol, com vitórias. Ganhar e convencer”, afirmou.

“Meu mestre”

Quem também estava na apresentação do novo treinador Coxa Branca era Pachequinho. Ele afirmou a experiência de Carpegiani vai ser muito importantes no momento atual do Coritiba. “A experiência do professor Paulo vai ser fundamental pra esse segundo turno”, afirmou.

O ex-jogador também lembrou que o treinador foi responsável por lança-lo no time profissional. “Foi meu mestre, foi ele quem me lançou no Coritiba.” Ele explicou que já esperava a contratação de outro treinador. “O presidente sempre foi claro e objetivo e colocou que minha função de técnico era interinamente.”

Pachequinho ainda comentou a “recepção” da torcida Coxa Branca na chegada da delegação após a derrota para o Vitória, na Bahia. “O sentimento dos torcedores é o mesmo que o nosso, de querer vencer e querer ganhar. O protesto foi de forma pacífica, o torcedor tem o direito de cobrar, principalmente nos jogos, que é o lugar mais apropriado”, alfinetou.  

Experiência paraguaia

Para o lateral-esquerdo paraguaio Benitez, trabalhar com Carpegiani significa uma nova oportunidade para brigar pela titularidade da posição. “Pessoalmente eu tento aproveitar minha oportunidade, ninguém deseja mal ao companheiro. Mas agora eu vou ter uma oportunidade e vou tentar ajudar o time”, afirmou.

O jogador lembrou que Carpegiani comandou a Seleção do Paraguai na década de 90 e conseguiu bons resultados. “Ele é reconhecido no Paraguai. Quando ele era treinador, eu tinha 8 anos, não acompanhei muito. Mas não é fácil classificar uma seleção em um mundial”, destacou.

O lateral também comentou a cobrança da torcida Coxa por melhores resultados no Brasileirão. “Acho que é normal, torcedor quer sempre ganhar, estar lá em cima. A situação não é boa, o torcedor tem todo direito de reclamar”, destacou.

De acordo com Benitez, ainda há tempo para o Coritiba se recuperar na competição. “O novo treinador vai chegar para somar. Falta muito jogo, muito tempo para reverter a situação. Cada jogador vai dar seu melhor para demonstrar que pode estar na equipe. A gente precisa ganhar para sair dessa situação”, explicou.

Ele acredita que a pressão no jogo de domingo, diante da Ponte Preta, no Couto Pereira, será grande. “Eu acho que a torcida vai pressionar muito. Assim como o torcedor nos mostrou ontem (no aeroporto), acho que esse clima vai acontecer no Couto neste fim de semana.” A partida, válida pela última rodada do primeiro turno, acontece às 16h.

Colaboração: Robson de Lazari e Louise Fiala