22°
Máx
17°
Min

Argentina vira em reedição da final da Copa América e vence Chile em Santiago

Depois de um início ruim nas Eliminatórias para a Copa do Mundo de 2018, a Argentina já se reencontrou. Nesta quinta-feira, na reedição da final da Copa América do ano passado, no Estádio Nacional de Santiago, saiu atrás no placar, mas conseguiu a virada para vencer o Chile por 2 a 1, em confronto direto por uma vaga no próximo Mundial. Antes, na decisão continental realizada no ano passado, os chilenos ficaram com o título ao baterem os argentinos nos pênaltis, no mesmo palco do confronto desta quinta.

Com o resultado, pela quinta rodada, a Argentina foi a oito pontos, em quarto, atrás do Paraguai apenas pelo saldo de gols. À frente aparecem o Uruguai, com nove, e o Equador, com 13. Brasil, Chile e Colômbia têm sete pontos, mas só os brasileiros ainda jogam nesta quinta rodada entre os que lutam pelas primeiras posições - pegam o Uruguai, em Recife.

Vindo de derrota para o Uruguai, o Chile precisava se recuperar jogando em casa. Logo aos 5 minutos, porém, perdeu Matias Fernandez, por lesão. Francisco Silva entrou no lugar dele e criou a primeira boa oportunidade, aos 8 minutos, num chute que saiu raspando a trave.

Messi demorou a aparecer. Quando o fez, passou por um marcador na lateral direita, correu todo o campo de ataque e abriu para Di María, que chutou por cima. No lance seguinte, o Chile abriu o placar. Orellana bateu escanteio pela direita e Felipe Gutiérrez subiu mais que a marcação para marcar.

Com Marcelo Díaz esperando para ser substituído, também machucado, o Chile vacilou na saída de bola e perdeu ela no campo de defesa. A Argentina soube aproveitar bem. Agüero falhou na tentativa de jogada individual, mas acabou ajeitando para Di Maria, que bateu com a parte de dentro do pé e tirou do alcance de Bravo.

A virada veio num lance de sorte. Após cruzamento na área, Messi dominou perto da linha de fundo e, antes que batesse de novo na bola, Isla tocou nela na tentativa de cortar. Deu para o zagueiro Mercado, do River Plate, que bateu de voleio e fez bonito gol, aos 24 minutos. Era apenas a terceira partida o defensor de 29 anos com a camisa da Argentina.

Com Messi, Di Maria e Agüero no ataque e um meio-campo de marcação no meio, a Argentina controlava o jogo e praticamente não deixou o Chile assustar, exceto em bolas aéreas.

Alexis Sánchez quase não pegava na bola e só foi ter uma chance de marcar já aos 7 do segundo tempo, quando dominou tirando da marcação e acabou errando a finalização. Beausejour também teve boa chance, aos 14, finalmente exigindo Romero.

Como havia feito duas substituições logo de início, o Chile só voltou a mexer aos 24 minutos do segundo tempo. Pinilla entrou em seguida e desperdiçou chance cara a cara com Romero. A Argentina não recuou, com as entradas de Lavezzi, Higuain e Augusto Fernandez, segurou a bola no campo de ataque sempre que pôde, e garantiu a vitória.