23°
Máx
12°
Min

Atlético de Madrid sofre, faz 8 a 7 nos pênaltis e elimina o PSV

Foram 210 minutos sem gols e outros 10 com um gol atrás do outro. O Atlético de Madrid sofreu para superar o goleiro Jeroen Zoet no tempo normal, precisou da prorrogação depois de novo empate em 0 a 0, repetindo o resultado da ida, e só eliminou o PSV nos pênaltis. Só Narsingh desperdiçou, mandando no travessão a 15.ª cobrança. Juanfran deixou o dele, decretou o 8 a 7 e classificou o Atlético às quartas de final da Liga dos Campeões, explodindo o Vicente Calderón em alegria.

Acostumado a vitórias magras, o Atlético de Madrid vinha de três triunfos marcando três gols, todos pelo Espanhol, e experimentava uma nova fase, mais agressiva. Bem armado pelo técnico Cocu (ex-lateral do Barcelona), o PSV, entretanto, surpreendeu os donos da casa neutralizando cada peça espanhola no Vicente Calderón.

Ainda que não tenha conseguido impor seu ritmo de jogo, o Atlético foi melhor no primeiro tempo. Seja com Godin, na tradicional jogada pelo alto, ou com o bom Griezmann, levava perigo e testava o goleiro holandês Zoet, que mais fez defesas na Liga dos Campeões até aqui. Foram aos menos cinco boas chances dos espanhóis só na primeira etapa.

Depois da volta do intervalo o jogo ficou ainda mais franco. Em cinco minutos, o Atlético teve cinco chances de marcar e, como de praxe, parou em Zoet. Aos 10, entretanto, o PSV criou ótima oportunidade e acertou a trave com Locadia. A bola voltou na cabeça de De Jong, que não conseguiu acertá-la com força.

Fernando Torres entrou no lugar de Augusto Fernández para ser o salvador da pátria no Vicente Calderón e chegou perto da meta. Aos 24 minutos, deu drible desconcertante no marcador, mas foi travado na hora do chute, cara a cara com o goleiro. Aos 40, tirou de Bouma, bateu forte, e parou em Zoet. A bola ainda acertou na trave.

De acordo com as estatísticas da Uefa, Zoet fez seis defesas no tempo regulamentar, mas, aos 45 do segundo tempo, ele quase entregou. Saiu mal num cruzamento, socou para trás, e só não viu seu time ser eliminado porque a zaga salvou.

Pelo lado do Atlético, Godin saiu mancando e Simeone, diferente do que costuma fazer, colocou um meia no lugar do zagueiro, aos 43. A ideia era evitar a prorrogação, no que não teve sucesso.

Nos 30 minutos extras, o jogo caiu em dinamismo. Os dois times pareciam cansados da intensidade que foram os primeiros 90 minutos e ameaçaram pouco os goleiros. Todo o trabalho havia ficado para os pênaltis.

Logo na primeira batida, Oblak chegou na bola, mas perdeu a chance de defender a batida de

Van Ginkel. Griezmann, Guardado, Gabi, Pröpper, Koke, Bruma, Saúl e Moreno fizeram os deles, jogando toda a pressão em Torres. 'El Niño' converteu, deixou tudo igual em 5 a 5 e forçou as batidas alternadas. Lestienne, Giménez, Arias e Filipe Luis mantiveram a igualdade até que Narsingh mandou no travessão. Juanfran não desperdiçou e colocou o Atlético nas quartas pela terceira edição seguida da Liga.