20°
Máx
14°
Min

Atlético-MG faz 3 a 0 no Colo-Colo e fica perto das oitavas na Libertadores

(Foto: Divulgação)  - Atlético-MG faz 3 a 0 no Colo-Colo e fica perto das oitavas na Libertadores
(Foto: Divulgação)

O Atlético Mineiro ficou muito perto da vaga nas oitavas de final da Copa Libertadores, na noite desta quarta-feira, ao aplicar 3 a 0 no Colo-Colo, no Independência. Cazares, mais uma vez, comandou o time brasileiro, que não teve problemas para se impor contra a equipe chilena, com a qual havia empatado na rodada passada.

Cazares abriu o placar logo no primeiro minuto e Patric anotou o segundo aos 45 da etapa inicial. No segundo tempo, Hyuri anotou o terceiro, selando a terceira vitória atleticana na competição. Nos minutos finais, Robinho entrou em campo, recuperado de problema físico. Mas teve desempenho discreto.

O triunfo levou o Atlético aos 10 pontos, cada vez mais perto da classificação. O melhor time do Brasil nesta edição da Libertadores só precisa de um empate nas duas rodadas restantes do Grupo 5 para se garantir no mata-mata. O Colo-Colo segue com cinco pontos, na terceira posição.

Na próxima rodada, o Atlético poderá selar a classificação diante do Independiente Del Valle, no Equador, no dia 6 de abril. Um dia depois, o Colo-Colo vai duelar com o Melgar, também fora de casa.

O JOGO - Mesmo sem Robinho na equipe titular, o Atlético só precisou de um minuto para mostrar sua força no Independência ao Colo-Colo. Foi o tempo de Lucas Pratto acionar Cazares em disparada até o gol. O equatoriano bateu na saída do goleiro Villar e abriu o marcador.

O gol no primeiro minuto deixou a partida completamente aberta no primeiro tempo. Pego de surpresa, o Colo-Colo se viu na necessidade urgente de também buscar o ataque. E o Atlético ganhou espaço para causar preocupações na defesa chilena.

Foi a sensação da defesa dos visitantes quando Pratto e Cazares inverteram os papéis, aos 8 minutos. Em enfiada pelo meio, o argentino finalizou para as redes, mas o árbitro marcou um impedimento que claramente não existia.

A torcida atleticana não teve tempo para reclamar da arbitragem. Um minuto depois, Patric recebeu lançamento em profundidade e, cara a cara com o goleiro, desperdiçou a oportunidade. E as chances não acabavam. Luan, aos 21 e aos 28, quase ampliou o marcador. Patric, aos 40, furou em grande chance. O Colo-Colo só conseguiu responder aos 28 e aos 34, dando susto no gol de Giovanni (Victor passou por cirurgia no joelho nesta quarta).

Superior em campo, o Atlético continuava desperdiçando oportunidades e a torcida já se angustiava. Até que Patric tranquilizou as arquibancadas aos 45. Ele aproveitou vacilada da defesa e encheu o pé. Acertou o travessão e viu a bola quicar dentro antes de sair.

O segundo tempo começou com sustos para a zaga atleticana. No primeiro minuto, Giovanni foi bem exigido em cabeçada perigosa de Delgado e evitou o gol chileno. A resposta do time brasileiro veio, como de costume, em jogada de Cazares. Aos 10, finalizou com perigo e deu trabalho para o goleiro Villar.

Sem a mesma inspiração, Pratto seguia com boas chances, porém sem efetividade. Aos 14, desperdiçou oportunidade incrível ao bater para fora quando o gol chileno estava sem goleiro.

Na sequência, o técnico Diego Aguirre resolveu trocar Patric por Hyuri e teve sucesso. Foi dos pés do atacante que saiu o terceiro gol atleticano. A jogada foi de Júnior Urso, deixando o companheiro em situação tranquila para bater na saída de Villar, aos 27.

Aguirre também colocou em campo Robinho, recuperado de uma infecção por picada de inseto. Fora do jogo contra o Colo-Colo em Santiago, o atacante fez um retorno discreto ao time, mais para recuperar ritmo de jogo.

FICHA TÉCNICA:

ATLÉTICO-MG 3 x 0 COLO-COLO

ATLÉTICO-MG - Giovanni; Marcos Rocha, Leonardo Silva, Erazo e Douglas Santos; Júnior Urso, Rafael Carioca e Cazares (Robinho); Patric (Hyuri), Lucas Pratto e Luan (Eduardo). Técnico: Diego Aguirre.

COLO-COLO - Justo Villar; Gonzalo Fierro, Julio Barroso, Claudio Baeza e Jean Beausejour; Esteban Pavez, Jorge Araya e Jaime Valdés (Javier Reina); Martín Rodríguez, Juan Delgado e Tonso (Andrés Vilches). Técnico: José Luis Sierra.

GOLS - Cazares, a um minuto, e Patric, aos 45 minutos do primeiro tempo. Hyuri, aos 27 minutos do segundo tempo.

CARTÕES AMARELOS - Barroso, Luan, Rafael Carioca, Beausejour, Pavez.

ÁRBITRO - Juan Soto (Venezuela).

RENDA - R$ 1.704.100,00.

PÚBLICO - 21.201 pagantes.

LOCAL - Estádio Independência, em Belo Horizonte (MG).