23°
Máx
12°
Min

Atlético-MG tira plano B e obriga Palmeiras a estudar novas opções por Cuca

Em uma tarde, o Palmeiras perdeu os dois planos para o comando técnico em 2017. Cuca oficializou a saída, enquanto Roger Machado, horas depois, finalizou contrato para dirigir o Atlético-MG no próximo ano. Desta forma, o campeão brasileiro inicia a procura pelo novo comandante ainda sem um norte, graças à agilidade atleticana.

Antes de qualquer ação de mercado, o Palmeiras aguardava pela decisão de Cuca; o treinador transmitiu o desejo de não renovar o contrato, com prazo final até dezembro, apenas na última terça-feira.

Outro fator ainda atrasou o Palmeiras na negociação por um novo comandante. Alexandre Mattos não renovou o contrato para seguir como diretor de futebol e centralizar novamente as negociações; internamente, pessoas do clube já enxergam a continuidade do dirigente como "algo difícil".

Acima dos empecilhos internos, o fator Atlético-MG obrigou o Palmeiras a iniciar novos estudos sobre o substituto de Cuca. O tal "plano B" citado por Mattos na última segunda-feira se direcionava a Roger Carvalho, opção preferida para comandar o atual campeão nacional no ano que vem.

No entanto, o Atlético-MG agiu rápido e certeiro. Em menos de um dia, o clube mineiro recebeu o treinador gaúcho em Belo Horizonte, acertou contrato e anunciou o novo comandante antes mesmo de decidir a Copa do Brasil contra o Grêmio, na próxima semana.

Agora resta ao Palmeiras estudar novas opções. Duas delas surgem em primeiro plano após o fim dos planos "A e B". Eduardo Baptista, da Ponte Preta, é cogitado, mas ainda não foi procurado pelo clube de Palestra Itália, segundo informação repassada por pessoas próximas à direção do clube de Campinas.

Alberto Valentim, que tem como projeto ser treinador, também é estudado como uma opção. Alberto, auxiliar técnico no Palmeiras desde 2014, assumiu o clube por quatro vezes como interino e seria uma aposta em ano de Copa Libertadores.

As credenciais de Valentim relevam a pouca experiência. Estudioso e de ótima relação com o atual grupo de jogadores, o auxiliar acumulou dez jogos, com seis vitórias, um empate e três derrotas; a última vez como "tampão" ocorreu neste ano, em vitória por 2 a 0 no clássico contra o São Paulo, pelo Campeonato Paulista.