22°
Máx
16°
Min

Bayern elimina Juventus com gol aos 45, prorrogação, virada e herói emprestado

(Foto: Divulgação)  - Bayern elimina Juventus com gol aos 45, prorrogação, virada e herói emprestado
(Foto: Divulgação)

O Bayern de Munique conseguiu um vitória história sobre a Juventus nesta quarta-feira para avançar às quartas de final da Liga dos Campeões. Após sair perdendo por 2 a 0, conseguiu o empate aos 45 minutos do segundo tempo e garantiu o triunfo por 4 a 2 no segundo tempo da prorrogação. O jovem Coman, de apenas 19 anos, está no Bayern emprestado pela Juventus, participou dos dois gols no tempo normal e marcou o tento que fechou a contagem na Allianz Arena.

Curiosamente, o jogo de volta, nesta quarta-feira, teve desenrolar contrário ao da partida de ida. Em Turim, o Bayern fez 2 a 0 e levou o empate em 2 a 2. Nesta quarta, o time italiano deu um baile tático no primeiro tempo, se fechou na segunda etapa - a ponto de Bayern bater recorde com quase 79% de posse de bola no tempo normal -, mas acabou sucumbindo num lance que envolveu dois jogadores que vice-campeões da Liga pela Juventus ano passado: Vidal e Coman.

A vitória também entra na conta de Guardiola, que viu dois jogadores que saírem do banco decidirem a partida. Primeiro Coman, no tempo normal, depois Thiago Alcântara, que entrou no jogo aos 11 minutos do primeiro tempo da prorrogação e virou o jogo aos 3 do segundo tempo.

Com a classificação do Bayern às quartas de final, Guardiola segue no objetivo de ganhar uma Liga dos Campeões antes de trocar o clube alemão pelo Manchester City ao fim da temporada. Ao longo da carreira, ele participou anteriormente de seis edições da Liga. Ganhou dois títulos e chegou quatro vezes à semifinal.

O JOGO - Exímios estrategistas, Guardiola e Allegri tentaram ganhar o jogo na prancheta. No Bayern, o espanhol reforçou a marcação no meio, escalando Xabi Alonso e Vidal entre os titulares e deixando Thiago Alcântara no banco. Já o italiano, sem Dybala, Mandzukic, Marshisio e Chiellini, apostou em Alex Sandro no meio, se aproximando de Morata. Os dois times tinham cinco meio-campistas e um centroavante, com a diferença é que o Bayern, que jogava em casa, contava com um volante mais recuado (Alonso), que a Juventus não tinha.

Só que um jogo não é ganho só no domínio territorial e da bola. Ele também é decidido em erros e acertos individuais. E, aos 5 minutos, o Bayern errou muito mais do que deveria. Alaba falhou, Neuer saiu mal do gol para dividir com Lichtsteiner com os pés e a sobra acabou com Pogba, que bateu para o gol vazio e abriu o placar.

Pressionada por uma marcação alta do meio-campo da Juventus, a zaga do Bayern, conhecida pela sua habilidade, não aguentou o tranco. Só no primeiro tempo foram mais duas saídas erradas e uma delas acabou num gol anulado de Morata. O espanhol encobriu Neuer, balançou à rede, mas o árbitro apontou um impedimento contestável.

O jogo não era só de erros, como o de Alaba, que perdeu a bola na meia-lua ofensiva aos 28 minutos. Era também de acertos, de grandes acertos. Morata puxou o contra-ataque correndo mais da metade do campo, passou por três marcadores e, já na entrada da área, abriu para Cuadrado. O equatoriano ainda deixou um marcador no chão e bateu tirando de Neuer.

O 2 a 0 era o argumento que a Juventus queria para recuar toda sua linha de meio-campo e apostar em contra-ataques puxados por Cuadrado e Alex Sandro. Foi numa dessa que o time italiano quase fez o terceiro aos 44, numa jogada que passou pelo brasileiro e por Pogba e acabou em grande defesa de Neuer diante do equatoriano.

Bom Bernat no lugar de Benatia, Guardiola tentou jogar o Bayern para o ataque, mas a Juventus continuou melhor. Tanto que, aos 11 minutos, Morata já havia perdido duas chances, uma delas incrível.

As coisas só mudaram de vez quando Coman entrou no lugar de Xabi Alonso, aos 14 minutos. O francês de 19 anos pertence à Juventus, mas, sem espaço no time de Turim na temporada passada, foi liberado por empréstimo para o Bayern de Munique, onde ganhou a confiança de Guardiola.

Nesta quarta, diante do time que é dono dos seus direitos federativos, fez história. Aos 38 minutos, salvou uma bola que sairia para escanteio e entregou para Douglas Costa, que cruzou na cabeça de Lewandowski. Aos 45, quando o jogo já era um puro ataque contra defesa, Vidal, outro ex-Juventus, roubou bola de Evra e abriu para Coman. Dessa vez foi o francês mesmo quem cruzou com perfeição para Müller marcar e levar o jogo para a prorrogação.

A prorrogação foi quente e, antes dos cinco minutos, tanto Neuer quanto Buffon já haviam feito uma grande defesa cada. Mas foi no segundo tempo extra que o jogo mudou. Logo aos 3 minutos, Thiago tabelou com Müller, bateu de primeira, e virou a partida.

No minuto seguinte, Coman puxou contra-ataque desde a defesa, deixou todo mundo para trás e bateu na saída de Buffon. Precisando de dois gols, a Juventus se lançou ao ataque, mas perdeu três chances.