22°
Máx
17°
Min

Bayern pressiona, mas só consegue vitória magra sobre o Benfica

Ganhar nunca é mau resultado, mas o Bayern de Munique claramente não ficou satisfeito com a vitória por 1 a 0 sobre o Benfica, nesta terça-feira, na Allianz Arena. Depois de abrir o placar logo aos 2 minutos, o time da casa criou diversas oportunidades, mas não conseguiu ampliar a vantagem em jogo válido como ida das quartas de final da Liga dos Campeões. Na volta, na quarta-feira que vem, em Lisboa, o time português joga por uma vitória por dois gols de diferença.

O JOGO - Jogando em casa diante de um rival menos cotado, o Bayern sabia que precisava sair da Allianz Arena com boa vantagem. E o gol logo a 2 minutos deixou claro que isso poderia acontecer. Bernat recebeu com liberdade pela esquerda e colocou na cabeça do volante Vidal, que apareceu como centroavante para marcar o primeiro gol dele na Liga dos Campeões.

Era só uma demonstração da intensidade do futebol do Bayern. A bola pouco saía do campo de ataque alemão e as oportunidades foram surgindo com alguma regularidade. Aos 20 minutos, o goleiro brasileiro Ederson já tinha feito três defesas, com destaque para a intervenção num chute de primeira de Müller.

O domínio territorial era visível e ficava claro pela discrepância entre os toques pensados do Bayern e os chutões do Benfica. De tanto tocar, uma hora o time da casa achava uma brecha para entrar na defesa portuguesa, como aconteceu aos 36 minutos, pelo alto. Vidal novamente cabeceou bem, mas a bola quicou forte demais e encobriu o travessão. Três minutos depois, Ribéry tentou num lindo voleio, mas mandou em cima da defesa.

Jogador com mais gols nas ligas nacionais europeias até o momento, Jonas quase não teve chances diante da zaga do Bayern, com exceção de uma oportunidade aos 11 minutos do segundo tempo, quando parou em Neuer. Pouco depois, ele fez falta em Vidal e recebeu o cartão amarelo, ficando suspenso para a partida de volta.

O Bayern não estava satisfeito em ganhar de pouco e sabia que o placar era arriscado. Por isso, faltando meia hora para o fim da partida, Guardiola tirou o zagueiro Kimmich e colocou o volante Javi Martínez, adiantando ainda mais o time.

Quem via o jogo sem saber o placar podia acreditar que o Bayern precisava de um gol para sobreviver na competição. Na base da pressão, amassou a defesa do Benfica, que se virou como deu. Destaque especialmente para Ederson, que voltou a salvar o time aos 36 minutos, em jogada de Ribéry. Ele é candidato a ser titular do Brasil na Olimpíada.

Mas a culpa de o Bayern não ter vencido por um placar mais largo não pode recair só sobre o Benfica. Aos 44 minutos, Vidal deu linda enfiada para Lewandowski, cara a cara com o goleiro. O polonês rolou para o lado, onde Lahm ficaria frente ao gol vazio, mas errou o passe, que foi forte demais. Gol feito também se erra no passe.