27°
Máx
13°
Min

Benfica vira sobre o Zenit no fim e avança às quartas da Liga dos Campeões

O Benfica foi buscar a virada diante do Zenit nesta quarta-feira e se garantiu nas quartas de final da Liga dos Campeões. No intenso frio de São Petersburgo, na Rússia, o time português saiu atrás do placar com gol de Hulk, mas marcou duas vezes no fim e fez o 2 a 1 que lhe favorecia com os gols de Gaitán e Anderson Talisca.

Foi o suficiente para levar o Benfica às quartas de final pela primeira vez desde a temporada 2011/2012, quando caiu diante do Chelsea, que seria campeão. O time português já havia se beneficiado de um gol no fim na ida, quando venceu o Zenit por 1 a 0 em Lisboa com Jonas marcando nos acréscimos.

Nesta quarta, o brasileiro estava disposto a ser protagonista de novo e quase marcou o primeiro logo no início, em cobrança de falta que exigiu ótima defesa de Lodigin. A resposta do Zenit veio na sequência, quando Dzyuba recebeu pela esquerda, ganhou no corpo do zagueiro e bateu cruzado com perigo.

As emoções, no entanto, ficaram mesmo para o segundo tempo. Precisando de pelo menos um gol, o Zenit foi para cima e criou uma série de boas oportunidades. Aos sete minutos, Dzyuba foi travado quando estava de frente para Ederson. O goleiro ainda impediria o gol de Smolnikov aos 15. Jonas respondeu aos 17 e parou em Lodigin.

Mas o Zenit dominava e abriu o placar aos 24 minutos. Zhirkov ganhou no corpo pela esquerda de Semedo, que ficou no chão. A defesa do Benfica ficou reclamando de falta, não dada pelo árbitro. O meia russo, então, mostrou calma e qualidade, foi até a linha de fundo e esperou o momento certo para cruzar na cabeça de Hulk, que chegou pelo meio da área e tocou para a rede.

O gol deixou o jogo mais aberto e o Benfica tentou responder aos 26, quando Lindeloef aproveitou escanteio e cabeceou no ângulo esquerdo de Lodigin, que voou para espalmar. Aos 35, foi a vez do Zenit assustar. Dzyuba passou por toda a zaga do Benfica e parou em Ederson.

Mas aos 39, o Benfica praticamente garantiu a vaga. Raúl Jiménez arriscou de longe e acertou o ângulo. Lodigin espalmou, a bola ainda tocou no travessão e a sobra ficou com Gaitán, que tocou de cabeça para a rede. Com o Zenit no desespero, os portugueses ainda viraram o placar aos 50 minutos com o brasileiro Anderson Talisca, que aproveitou sobra na área e limpou o zagueiro antes de bater firme de direita para a rede.