22°
Máx
16°
Min

Berlusconi deixa hospital após cirurgia e confirma venda do Milan a grupo chinês

Presidente e proprietário do clube confirma a venda do Milan (Foto: Divulgação) - Berlusconi confirma venda do Milan a grupo chinês
Presidente e proprietário do clube confirma a venda do Milan (Foto: Divulgação)

Submetido a um cirurgia cardíaca há três semanas, Silvio Berlusconi ganhou alta nesta terça-feira do hospital onde estava internado e já em sua saída confirmou que venderá as ações do Milan a um grupo de investidores chineses. Presidente e proprietário do clube, o dirigente revelou que os asiáticos irão investir cerca de 400 milhões de euros no time nos próximos dois anos.

Ao confirmar a negociação, o também ex-primeiro-ministro italiano, de 79 anos de idade, ressaltou que tomou a decisão de aceitar a proposta dos chineses para que o clube possa voltar a brigar diretamente por títulos e justifique a sua enorme tradição como uma das principais equipes do cenário mundial em todos os tempos.

"A última decisão foi importante: decidi vender o Milan a quem está disposto a investir dinheiro para permitir ao clube voltar a ser protagonista na Itália, na Europa e no mundo", afirmou Berlusconi, para em seguida confirmar a quantia que será desembolsada pelos investidores chineses.

"Renunciei às minhas pedidas econômicas, aceitei o que foi proposto, que sequer leva em conta a marca Milan, mas o grupo chinês aceitou investir no Milan pelo menos 400 milhões de euros nos dois próximos anos", completou o dirigente, que assim deixará de dirigir o clube após 30 anos na presidência em um período no qual o time conquistou cinco títulos da Liga dos Campeões, oito do Campeonato Italiano e outros 15 troféus.

"Quero fechar um período de 30 anos com 28 grandes troféus, com muitos segundos lugares e com uma torcida rossonera que aumentou em número", enfatizou Berlusconi, que não vê o Milan levantar uma taça desde 2011, quando o time conquistou pela última vez o Campeonato Italiano.

De lá para cá, o clube passou a amargar um jejum de taças e afundou em uma grande crise econômica, que consequentemente enfraqueceu a equipe dentro de campo e agora motivou o poderoso dirigente a sair de cena. Ele já estava há quatro anos atuando de forma menos ativa no clube e agora também admitiu que esta cirurgia cardíaca a qual foi submetido foi uma "prova muito dolorosa".

Berlusconi, que completará 80 anos em setembro, havia sido internado em 7 de junho no hospital São Raffaele de Milão, e depois de ganhar alta apenas nesta terça-feira reconheceu que "não pensava que sofreria tanto". "Agora estou um pouco melhor e me esperam dois meses de recuperação, mas logo estarei de novo à disposição da Itália e dos italianos", prometeu.

Ex-primeiro-ministro, Berlusconi está afastado da política desde que foi condenado em 2015 a três anos de prisão por uma fraude fiscal em 2013. A condenação, no entanto, não foi aplicada porque o delito estava perto de ser prescrito.

O jornal italiano La Gazzetta dello Sport publicou que a assinatura do contrato preliminar para a venda do Milan irá acontecer até o próximo dia 15, assim como informou que a transação com os investidores chineses será 100% concluída na metade do segundo semestre.