22°
Máx
16°
Min

Boateng diz que não levará família para Euro, mas Alemanha confia em segurança

(Foto: Reuters) - Boateng diz que não levará família para Euro, mas Alemanha confia em segurança
(Foto: Reuters)

Depois dos atentados terroristas que provocaram 130 mortes em novembro do ano passado, em Paris, a segurança da Eurocopa de 2016 foi automaticamente colocada em xeque. Embora um enorme esquema esteja sendo implementado para garantir a realização com sucesso da competição que começa nesta sexta-feira, na França, o medo da repetição de incidentes graves ainda é grande.

Exemplo disso é que o zagueiro Jerome Boateng, da seleção alemã, admitiu que não irá levar seus familiares para acompanhar as partidas do país no torneio continental. Em entrevista para o jornal alemão "Sport Bild", o defensor ressaltou que colocar seus entes queridos nos estádios que abrigarão partidas da Alemanha "lhe parece um risco muito grande".

"Da minha parte, na Eurocopa, quero apenas me concentrar no futebol. Então, me sentirei melhor simplesmente por minha família não estar no estádio", reconheceu o jogador do Bayern de Munique, que é considerado um dos pilares da defesa alemã.

Apesar do temor explicitado pelo atleta, o presidente da Federação Alemã de Futebol (DFB, na sigla em alemão), Reinhard Grindel, afirmou confiar na eficiência da segurança que está montada para garantir tranquilidade a jogadores e torcedores que estarão em solo francês para acompanhar a Eurocopa, assim como lembrou do aparato que será proporcionado pela própria entidade alemã.

"Em termos gerais, posso dizer que estamos em comunicação constante com oficiais de segurança na Alemanha, e temos nosso próprio pessoal de segurança na federação. Confiamos nas forças de segurança francesas", afirmou Grindel, que ao mesmo tempo disse respeitar a decisão tomada por Boateng. "Isso é algo que cada pessoa tem de decidir por ele e sua família", ressaltou.

Um dos alvos dos terroristas dos ataques que mataram 130 pessoas em Paris, no ano passado, era o Stade de France, grande palco do futebol do país, onde no mesmo dia a seleção francesa disputava um amistoso, mas os extremistas não conseguiram ingressar no local. E Grindel acredita que a França está dando provas de que deverá garantir a realização de uma Eurocopa segura. "Até esta manhã (de quarta-feira), as forças de segurança alemãs não tinham evidência concreta de alguma ameaça contra a Eurocopa de 2016", enfatizou o dirigente.

Atual campeã mundial, a Alemanha integra o Grupo C da Eurocopa e faz sua estreia no domingo, contra a Ucrânia, em Lille. No mesmo dia, Polônia e Irlanda do Norte se enfrentam na partida que abrirá a primeira rodada desta chave.