28°
Máx
17°
Min

Boateng diz que 'Polônia não tem só Lewandowski' e nega trauma em volta a estádio

Embora tenha confirmado favoritismo ao vencer a Ucrânia por 2 a 0, no último domingo, em sua estreia na Eurocopa, a Alemanha está focada em melhorar o seu desempenho defensivo, já que Manuel Neuer precisou fazer três grandes defesas no confronto diante dos ucranianos e foi um nome de destaque no triunfo da equipe comandada pelo técnico Joachim Löw.

Nesta terça-feira, ao projetar o duelo diante da Polônia, na próxima quinta, em Paris, o zagueiro Jerome Boateng lembrou que os atuais campeões mundiais terão pela frente um ataque muito perigoso no jogo que valerá a liderança do Grupo C da competição continental, pois na primeira rodada os poloneses derrotaram a Irlanda do Norte por 1 a 0, também no último domingo, no outro jogo que abriu esta chave.

"Temos de ser cuidadosos. Eles têm bons jogadores ofensivos, e não apenas Lewandowski", alertou o defensor ao se referir ao goleador do Bayern de Munique, que é seu companheiro de clube na equipe alemã.

Para o jogo diante da Polônia, a Alemanha contará com o reforço do zagueiro Mats Hummels, que ficou fora da estreia por ainda estar se recuperando de uma lesão na panturrilha sofrida na final da Copa da Alemanha, no mês passado, quando disputou seu último jogo pelo Borussia Dortmund antes de se transferir para o Bayern.

Löw, porém, ainda não deixou claro se irá optar pela escalação do jogador ou se irá manter Shkodran Mustafi como parceiro de zaga de Boateng contra os poloneses. Mustafi abriu o placar para a Alemanha na vitória sobre a Ucrânia, mas se mostrou vulnerável defensivamente em algumas ocasiões ofensivas do adversário.

RETORNO AO PALCO DE TRAUMA - A Alemanha, por sua vez, irá voltar pela primeira vez ao Stade de France, palco do duelo de quinta, desde quando enfrentou a França em amistoso realizado em 13 de novembro do ano passado, mesmo dia em que 130 pessoas morreram em Paris, vítimas de ataques terroristas em diferentes locais da capital francesa.

Um dos alvos dos terroristas era o próprio estádio do confronto, mas eles não conseguiram ingressos no local, onde uma grande explosão ocorrida nas imediações foi ouvida por jogadores e torcedores durante a partida. A seleção alemã, por sinal, optou por dormir no palco do amistoso com os franceses naquele dia, pois se recusou a transitar em Paris de volta ao hotel onde estava hospedado, tendo em vista o temor por novos atos terroristas na capital francesa.

Boateng, entretanto, garantiu que a volta ao estádio não preocupa os jogadores. "Estamos concentrados apenas nos aspectos esportivos. Viajaremos amanhã normalmente e estaremos bem preparados para o jogo", afirmou o jogador, que antes da Europa revelou que não levaria seus familiares aos jogos desta Eurocopa por considerar que isso seria um "grande risco" desnecessário para eles.

"Isso não é por apenas uma razão", afirmou o atleta nesta terça, lembrando que possui duas filhas pequenas e que elas precisariam viajar para diferentes cidades para acompanhar os jogos da seleção alemã, o que também poderia representar um risco para as mesmas, já que a França vem sofrendo com vários conflitos entre torcedores no decorrer desta Eurocopa.