28°
Máx
17°
Min

Briga de torcidas no estádio do Café chega ao STJD

(foto: Wellington Ferrugem/Londrina Esporte Clube) - Briga de torcidas no estádio do Café chega ao STJD
(foto: Wellington Ferrugem/Londrina Esporte Clube)

Londrina e Goiás serão julgados no Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) pela briga entre torcedores dos dois times no final da partida disputada em 23 de agosto no estádio do Café, que terminou com vitória dos visitantes por 2 a 0.

O Tubarão será julgado na sessão da Quarta Comissão Disciplinar, marcada para as 10h30 de sexta-feira (2) no Rio de Janeiro por “não prevenir e reprimir desordem e por não manter o local da partida com a infraestrutura necessária”, enquanto o Goiás responde apenas pela desordem.

O árbitro Célio Amorim relatou em súmula os os problemas ocorridos na arquibancada e a necessidade de paralisação da partida.

“Aos 46' do segundo tempo houve a necessidade de paralisar a partida em virtude de um tumulto vindo da arquibancada ocorrido entre as torcidas. A paralisação durou cerca de 1', tempo suficiente para que pudéssemos checar junto ao policiamento as condições de segurança dos torcedores. Após a garantia de segurança por parte do policiamento a partida continuou sem problemas. Ao final o Sr. Aspirante Bruno Franceschet no relatou os fatos ocorridos na arquibancada: "A torcida do Londrina Esporte Clube jogou artefato explosivo na torcida do Goiás Esporte Clube, não feriu ninguém. Após isso a torcida do Goiás efetuou o lançamento de pedregulhos contra a torcida do Londrina, ninguém foi ferido. A policia interviu com granadas de efeito moral que não atingiram nenhum torcedor", escreveu na súmula.

Após a análise dos fatos descritos, a Procuradoria ofereceu denúncia contra o Londrina por infração aos artigos 213, inciso I por não adotar as providências necessárias para impedir a desordem ocorrida nas arquibancadas e no artigo 211 pela falta de infraestrutura ao permitir que torcedores tivessem acesso a pedregulhos.

Já o Goiás também foi denunciado por não prevenir e reprimir desordem, conforme descrito no artigo 213, parágrafo 2º.

Para a Procuradoria, apesar de serem provocados, a torcida do clube goiano contribuiu para o tumulto e para a interrupção da partida com o arremesso de pedras.

Cada artigo prevê como pena a multa entre R$ 100 e R$ 100 mil. A Procuradoria pede ainda a aplicação do parágrafo 1º, do artigo 213 ao Londrina , que prevê perda de mando de campo de até 10 partidas quando a desordem for considerada de elevada gravidade.