28°
Máx
17°
Min

Chile leva susto, mas vira sobre Panamá e deve encarar México nas quartas

No duelo entre o atual campeão da Copa América e o modesto time do Panamá, parecia fácil apontar o favorito. Mas o Chile precisou suar para confirmar na noite desta terça-feira a superioridade e a vaga nas quartas de final da Copa América Centenário. Sob a liderança de Vargas e Alexis Sánchez, o time chileno venceu o Panamá, de virada, por 4 a 2, na Filadélfia.

A dupla chilena foi a responsável pelos quatro gols. Cada um marcou duas vezes e aliviou a pressão que o Panamá conseguiu aplicar em dois momentos pontuais da partida. No primeiro, abriu o placar, logo aos 5. E, na segunda etapa, anotou o segundo quando o Chile já tinha 3 e ameaçava empatar.

Com o triunfo, o Chile chegou aos seis pontos e deve ser o segundo colocado do Grupo D. A primeira posição deve ficar com a Argentina, que enfrenta a Bolívia ainda nesta terça. Somente uma improvável goleada boliviana tiraria os argentinos da ponta. Bolivianos e panamenhos já não tem mais chances de avançar.

Se confirmada a Argentina na primeira colocação, o Chile terá pela frente nas quartas de final o México. Os argentinos cruzariam com a surpreendente Venezuela, que ajudou a eliminar o Uruguai no Grupo C.

O JOGO - As dificuldades encontradas pelo Chile nesta noite se deveram a lapsos pontuais de sua defesa. E tiveram no goleiro Claudio Bravo seu maior risco. O jogador do Barcelona deu o primeiro susto na torcida logo aos cinco minutos de jogo. Em chute despretensioso de Camargo, de fora da área, Bravo bobeou e deixou a bola passar. O gol causou festa da torcida panamenha nas arquibancadas, mas aumentou ainda mais a disposição dos chilenos.

Daí em diante, só o Chile atacou no primeiro tempo. A equipe sul-americana só precisou de nove minutos para buscar o empate. O lance teve início em tabela de Alexis Sánchez na entrada da área. Vargas aproveitou rebote do goleiro na pequena área e completou para as redes.

O próprio Vargas decretou a virada antes do intervalo, fazendo chegar ao cume a pressão chilena, após uma sequência de boas chances ofensivas. Aos 42 minutos, Beausejour cruzou na área com precisão e Vargas deu bela cabeçada, sem marcação na área, para anotar o segundo gol do Chile.

Na volta do intervalo, o técnico Hernán Gomez resolveu trocar os dois atacantes do Panamá. E deu nova cara ao time panamenho. Logo no primeiro minuto, Arroyo quase empatou a partida. Porém, a resposta chilena foi mais efetiva. Aos 4, Vargas cruzou da direita e Sánchez acertou lindo chute de primeira, estufando as redes.

O terceiro gol chileno não desanimou o Panamá. Mais ofensivo, o time foi para cima e chegou a impor pressão, com três grandes oportunidades no ataque. A maior presença no setor ofensivo culminou no gol de Arroyo. Ele completou cruzamento de cabeça e viu Bravo hesitar na defesa. O goleiro chileno acabou completando contra as próprias redes, aos 29.

Depois do novo susto, a seleção chilena voltou ao ataque. E, além de retomar o controle da partida, descolou o quarto gol, aos 43 minutos. De cabeça, Alexis Sánchez mandou para as redes, selando a vitória chilena.

FICHA TÉCNICA:

CHILE 4 x 2 PANAMÁ

CHILE - Claudio Bravo; Isla, Medel (Enzo Roco), Gonzalo Jara, Beausejour (Edson Puch); Marcelo Díaz, Aránguiz, Vidal (Pablo Hernández); Fuenzalida, Vargas e Alexis Sánchez. Técnico: Juan Antonio Pizzi.

PANAMÁ - Jaime Penedo; Adolfo Machado, Cummings, Roderick Miller, Luis Henríquez; Gabriel Gómez, Amílcar Henríquez, Camargo, Alberto Quintero (Buitrago); Nurse (Gabriel Torres), Luis Tejada (Abdiel Arroyo). Técnico: Hernán Gomez.

GOLS - Camargo, aos 5, e Vargas, aos 14 e aos 42 minutos do primeiro tempo. Alexis Sanchéz, aos 4 e aos 43, e Arroyo, aos 29 minutos do segundo tempo.

CARTÕES AMARELOS - Camargo, Cummings, Amílcar Henríquez, Isla.

ÁRBITRO - Roddy Zambrano (Equador).

LOCAL - Lincoln Financial Field, em Filadélfia (EUA).