22°
Máx
17°
Min

City segura 0 a 0 com o Dínamo e vai às quartas da Liga dos Campeões pela 1ª vez

(Foto: Divulgação)  - City segura 0 a 0 com o Dínamo e vai às quartas da Liga dos Campeões pela 1ª vez
(Foto: Divulgação)

Demorou, mas o Manchester City finalmente chegou às quartas de final da Liga dos Campeões pela primeira vez em sua história. Nesta terça-feira. justamente em uma de suas piores atuações no torneio desta temporada, o time inglês garantiu a classificação mesmo com o insosso empate por 0 a 0 diante do Dínamo de Kiev, em pleno Etihad Stadium, se beneficiando da ótima vitória por 3 a 1 na partida de ida, na Ucrânia.

Se as chances de gol foram praticamente inexistentes nesta terça, isso se deve à falta de ímpeto do City e do Dínamo. Os ingleses se viram em situação confortável graças à ótima vantagem da ida e não queriam se arriscar a mais uma eliminação nas oitavas de final. O time ucraniano, por sua vez, pareceu entrar em campo já aceitando sua eliminação.

Curiosamente, a inédita ida do City às quartas acontece justamente na temporada de despedida de Manuel Pellegrini, que assumiu o time em 2013 com o objetivo de firmá-lo como um dos grandes da Europa mas teve sucesso apenas em âmbito nacional. Em 2016/2017, ele será substituído por Pep Guardiola.

O JOGO - Quem esperava um passeio do City em casa, viu o Dínamo tomar conta das ações ofensivas nos primeiros minutos. Para piorar, aos cinco, o capitão Kompany precisou deixar o campo com uma lesão muscular. Aos 22, o outro zagueiro dos donos da casa, o argentino Otamendi, também foi substituído após contusão sofrida minutos antes em choque com Buyalskiy.

Se a situação não era dramática, dada a ótima vantagem conseguida no jogo de ida, a perda de dois zagueiros deixou a torcida do City ressabiada. O time inglês era sufocado pela marcação dos ucranianos, que, por sua vez, tinham dificuldade na criação.

Sem conseguir assustar e também sem sofrer na defesa, o Dínamo se sentiu à vontade para atacar com mais jogadores, buscou cruzamentos de ambos os lados e chutes de fora da área. Mas foi para o intervalo tendo um lance em que Teodorczyk apareceu impedido de frente para Hart como melhor momento.

O segundo tempo continuou insosso em seu início, mas o City já era dono da posse e jogava no campo do adversário. Aos poucos, foi se animando e chegou a assustar em cobrança de falta de Yaya Touré e bela despontada de Agüero, que bateu para fora, mas ainda sem grande inspiração.

Até que aos 15, Navas, que estava muito mal na partida, protagonizou o melhor momento da partida. Ele recebeu na entrada da área pela direita e bateu cruzado, na trave. Aos 25, novo bom lance armado pela direita, Navas rolou para a meia-lua e Touré bateu em cima de Shovkovskiy.

Com o placar que lhe servia para avançar, o City não exibia qualquer ímpeto ofensivo, atitude reproduzida também pelo Dínamo, mesmo com o resultado que lhe eliminava, talvez resignado após a derrota na primeira partida. O time ucraniano ainda teve uma última grande chance antes do apito final, mas Hart impediu a vitória dos visitantes.