20°
Máx
14°
Min

Com belos gols, Itália derrota a Bélgica por 2 a 0 na estreia pela Eurocopa

(Foto: Divulgação/Figc) - Com belos gols, Itália derrota a Bélgica por 2 a 0 na estreia pela Eurocopa
(Foto: Divulgação/Figc)

Atual vice-campeã, a seleção da Itália começou com o pé direito a edição de 2016 da Eurocopa. E venceu o jogo considerado mais difícil do Grupo E da competição que está sendo realizada na França. No novíssimo Stade de Lyon, os belos gols de Giaccherini, no primeiro tempo, e de Pellè, no segundo, foram suficientes para os italianos derrotarem a Bélgica por 2 a 0 e assumirem a liderança isolada, já que Irlanda e Suécia empataram por 1 a 1 mais cedo no outro jogo da chave.

Para manter a liderança, e quem sabe até já se garantir nas oitavas de final - passam os dois primeiros de cada grupo e os quatro melhores terceiro colocados -, a Itália encara agora a Suécia nesta sexta-feira, às 10 horas (de Brasília), na cidade de Toulouse. Já a Bélgica buscará a reabilitação contra a Irlanda no sábado, às 10 horas, em Bordeaux.

Em campo, italianos e belgas se enfrentaram em um estádio recém-inaugurado, mas com o gramado molhado por causa da forte chuva que caiu em Lyon pouco antes da partida - algumas áreas da arena ficaram inundadas. Por isso, a troca de bola no início ficou rápida e muitos erros de passe aconteceram. Em uma jogada belga que deu certo, aos 9 minutos, quase saiu o gol. Após vários passes, a bola chegou para Nainggolan, que pegou de primeira e obrigou Buffon a fazer grande defesa.

A Itália - com sua veterana zaga formada por Buffon, Chiellini, Barzagli e Bonucci - não ficou abalada com a rapidez belga e aos poucos começou a tomar conta do jogo. Tanto que, aos 31 minutos, conseguiu abrir o placar. Bonucci fez um belo lançamento da defesa para Giaccherini, que viu a bola passar pelo zagueiro Alderweireld, dominou com categoria na grande área e bateu colocado na saída do goleiro Courtois.

O gol desestruturou a Bélgica por alguns minutos, fato que gerou duas grandes oportunidades para a Itália ampliar a vantagem e acabar com qualquer chance de reação. Por sorte, o chute de Candreva foi espalmado por Courtois e a cabeçada de Pellè foi para fora.

Para a segunda etapa, o técnico Marc Wilmots arrumou o setor de meio de campo e a Bélgica passou a levar mais perigo. Como a Itália naturalmente se fechou para conseguir algum contra-ataque, os belgas criaram boas oportunidades. Em uma delas, aos 7 minutos, Lukaku entrou livre pela esquerda, sem qualquer marcação, e bateu na saída de Buffon. Para sorte do goleiro, a bola subiu e passou raspando a trave.

Com um time com uma maior medida de idade que o rival, a Itália começou a sofrer com o desgaste físico e a rapidez do ataque belga e o negócio foi começar a parar a partida com faltas. Tanto é que em um intervalo de 20 minutos quatro italianos receberam cartão amarelo. Isso não atrapalhou a marcação e um contra-ataque mortal, aos 45, definiu o placar. Immobile recebeu na intermediária pela esquerda e tocou para Candreva no lado direito da área. Ele cruzou na medida para Pellè acertar um lindo voleio e sair para a comemoração.

FICHA TÉCNICA

BÉLGICA 0 x 2 ITÁLIA

BÉLGICA - Courtois; Ciman (Carrasco), Alderweireld, Vermaelen e Vertonghen; Witsel, Nainggolan (Mertens), Fellaini, De Bruyne e Hazard; Romeru Lukaku (Origi). Técnico: Marc Wilmots.

ITÁLIA - Buffon; Chiellini, Barzagli e Bonucci; Darmian (De Sciglio), Candreva, De Rossi (Thiago Motta), Parolo e Giaccherini; Pellè e Eder (Immobile). Técnico: Antonio Conte.

GOL - Giaccherini, aos 31 minutos do primeiro tempo; Pellè, aos 45 minutos do segundo tempo.

CARTÕES AMARELOS - Vertonghen (Bélgica); Thiago Motta, Bonucci, Chiellini e Éder (Itália).

ÁRBITRO - Mark Clattenburg (Fifa/Inglaterra).

RENDA E PÚBLICO - Não disponíveis.

LOCAL - Stade de Lyon, em Lyon (França).