24°
Máx
17°
Min

Com boa atuação, Santos vence Água Santa com gol de Rafael Longuine

(Foto: Divulgação/Santos FC) - Com boa atuação, Santos vence Água Santa com gol de Rafael Longuine
(Foto: Divulgação/Santos FC)

Todo time sente falta de um craque como Lucas Lima. No caso do Santos, a ausência do meia diante do Água Santa passou despercebida. Seu substituto, Rafael Longuine, jogou bem e, ao lado de Gabriel, comandou a vitória por 1 a 0, no Pacaembu, pela nona rodada do Campeonato Paulista.

O placar magro foi enganoso tamanha a superioridade dos santistas. Não fosse o goleiro Richard e a goleada seria consumada. Sem Lucas Lima, suspenso, Dorival Junior fez muito mistério. O treinador afirmou que tinha muitas opções. A escolha por Longuine veio com a alegação de que sua boa finalização de fora da área poderia ser um diferencial.

O jogador realmente adora finalizar, não importa em qual parte do campo esteja. Em menos de 25 minutos no Pacaembu, o camisa 17 arriscou, sem perigo, quatro chutes. Aos 29, após mais uma de tantas triangulações santistas, ele quis cruzar, a bola desviou no zagueiro Eli Sabiá e enganou o goleiro. Longuine correu para o abraço dos companheiros.

Vergonha de gol sem querer? Que nada, ele comemorou muito. Abraçou o time, olhou para a torcida, fez a festa. A primeira etapa foi de Longuine no Pacaembu. Mas poderia muito bem ser de Gabriel. O atacante infernizou o sistema defensivo do Água Santa. Habilidoso e ousado, foi caçado no começo. Irritado, começou a bater boca com os adversários e teve de ser chamado a atenção por Dorival Junior duas vezes. Mais calmo, viu seu voleio parar na trave e todas as jogadas ofensivas passarem por seus pés, mesmo o lance do gol.

O Água Santa, que pregava acabar com o jejum de três jogos sem vitória quase não incomodou. O único lance de perigo aconteceu após Gabriel ser derrubado e o árbitro ignorar a falta. No contragolpe a bola sobrou livre para Everaldo bater em cima da zaga. Tivesse capricho e a zebra daria as caras no Pacaembu. Destaque do time de Diadema mesmo foi o goleiro Richard, escalado de última hora após o titular Roberto sentir dores. Entrou e fechou o gol, com muitos milagres.

O segundo tempo foi muito parecido com a etapa inicial. Santos no ataque, bombardeando e parando em Richard, e Água Santa se defendendo. Ainda mais após perder o volante André Richa, expulso.

Mesmo assim, o Água Santa ainda teve chances para empatar. Em dois contra-ataques, saiu de frente com Vanderlei, que depois de 45 minutos assistindo, trabalhou bem. Espalmou o chute de Rafael Santiago e segurou firme a finalização de Everaldo. O atacante driblou o zagueiro e estava livre. O goleiro cresceu e salvou o Santos de vexame.

Longuine deixou o campo aos 32 minutos. Cansado e muito aplaudido, deu lugar a Ronaldo Mendes. Enquanto tomava uma água no banco, observou o chutaço de Paulinho bater nas duas traves e não entrar e ver Richard fazer o último milagre da noite em chute de Ricardo Oliveira. Naquele momento o Santos já administrava o placar. Visivelmente satisfeito com o resultado, não se importava com a vantagem mínima.

Valeu mesmo foram os três pontos, a manutenção da liderança da chave e a descoberta que há futuro no time sem Lucas Lima. E o resultado manteve o Santos na liderança do Grupo A do Paulistão, com 18 pontos, mas agora com a melhor campanha geral, à frente do Corinthians, com 17, que só jogará no domingo. Já o Água Santa é o terceiro do Grupo D, com nove.

FICHA TÉCNICA

SANTOS 1 x 0 ÁGUA SANTA

SANTOS - Vanderlei; Victor Ferraz, Lucas Veríssimo, Gustavo Henrique e Zeca; Thiago Maia, Renato, Serginho e Rafael Longuine (Ronaldo Mendes); Gabriel e Ricardo Oliveira. Técnico: Dorival Junior.

ÁGUA SANTA - Richard; Jonathan, Gustavo, Eli Sabiá e Bruno Ré; André Rocha, Sérgio Manoel, Francisco Alex (Guina) e Eder Loko (Gustavo); Rafael Santiago (Rafael Martins)e Everaldo. Técnico: Márcio Ribeiro.

GOL - Rafael Longuine, aos 29 minutos do primeiro tempo.

ÁRBITRO - Vinícius Furlan.

CARTÕES AMARELOS - Rafael Santiago, André Rocha, Thiago Maia, Jonathan e Ronaldo Mendes.

CARTÃO VERMELHO - André Rocha

RENDA - R$ 436.880

PÚBLICO - 16.036 pagantes (18.964 presentes)

LOCAL - Estádio do Pacaembu, em São Paulo.