21°
Máx
17°
Min

Com discrição e pouca torcida, seleção começa a chegar em Natal

(Foto: Lucas Figueiredo/CBF) - Com discrição e pouca torcida, seleção começa a chegar em Natal
(Foto: Lucas Figueiredo/CBF)

Os 34 anos de espera de Natal para voltar a receber a seleção brasileira e a euforia para adquirir ingressos não se refletiram na chegada dos primeiros jogadores à capital potiguar na noite deste domingo para o duelo com a Bolívia, na quinta-feira, pelas Eliminatórias Sul-Americanas para a Copa do Mundo de 2018. O domingo de eleições e a discrição das integrantes que chegaram à cidade não cativaram grande presença da torcida na recepção ao elenco.

A primeira leva da seleção brasileira chegou ao hotel por volta das 18 horas. O primeiro a descer do ônibus foi o técnico Tite, seguido por um dos seus auxiliares, o seu filho Matheus Bacchi. De jogadores, apenas três dos primeiros 24 convocados estavam no veículo: o meia Renato Augusto, o volante Rafael Carioca e o goleiro Alex Muralha, chamado à equipe pela primeira vez na carreira.

O grupo, mais integrantes da comissão técnica e dirigentes da CBF, veio de um voo que saiu no começo da tarde do Aeroporto do Galeão, no Rio e foi recebido por cerca de 30 torcedores na porta do hotel.

Mesmo com pedidos de fotos e entrevistas, todos passaram rapidamente pelo saguão e foram para os quartos. Não houve festa, nem recepção no aeroporto. Nesta segunda à tarde chegam a maior parte dos convocados, com a vinda dos atletas que atuam no futebol europeu.

O último jogador da seleção a se apresentar deve ser Gabriel Jesus. O atacante do Palmeiras vai atuar pelo time na noite de segunda-feira, no Recife, em compromisso contra o Santa Cruz, pelo Campeonato Brasileiro, no estádio do Arruda. Só depois da partida ele viaja para a capital potiguar.