23°
Máx
12°
Min

Com um a menos, Cruzeiro bate Vitória fora e abre vantagem na Copa do Brasil

(Foto: Divulgação)  - Cruzeiro bate Vitória fora e abre vantagem na Copa do Brasil
(Foto: Divulgação)

Três dias após empate por 2 a 2 no Mineirão, pelo Brasileirão, Vitória e Cruzeiro voltaram a se enfrentar na noite desta quarta-feira, sob chuva, em Salvador. E, depois de deixar o triunfo escapar em casa, o time mineiro buscou o resultado positivo no Barradão, desta vez pela Copa do Brasil. Com o placar de 2 a 1, o Cruzeiro abre boa vantagem, ficando muito perto das oitavas de final.

O time mineiro avança na Copa do Brasil mesmo se perder por 1 a 0 no jogo da volta, marcado para o dia 20, em Belo Horizonte. O placar desta quarta foi uma revanche do jogo de domingo, quando o Cruzeiro abriu 2 a 0, mas cedeu o empate. O Vitória buscou a igualdade aos 38 minutos do segundo tempo, no Mineirão.

Por coincidência, naquele jogo o Vitória alcançou o empate mesmo com um jogador a menos - Ramon fora expulso no início do segundo tempo. Nesta quarta, foi o Cruzeiro que buscou a vitória com desvantagem numérica. Allano foi expulso aos 14 da etapa final.

O jogador estava em dia pouco iluminado. Foi dele o toque de mão que gerou o pênalti, que causou o gol do Vitória nesta quarta. Em outra coincidência com domingo, Diego Renan converteu a penalidade nesta noite. Havia feito o mesmo no fim de semana.

O JOGO - De volta a campo somente três dias após o jogo no Mineirão, os dois times se enfrentaram com mudanças. O técnico Vagner Mancini promoveu apenas uma alteração: trocou Dagoberto por Vander. Já Paulo Bento mudou meio time, principalmente no setor ofensivo. Robinho e Ariel Cabral compuseram o meio-campo, enquanto Alex e Willian formaram a dupla de ataque.

E, se no domingo Willian teve poucos minutos para jogar no segundo tempo, nesta quarta ele aproveitou bem sua chance como titular no revezamento que o treinador tenta impor na equipe. Logo aos 7 minutos de jogo, ele recebeu na entrada da área, deu belo corte no zagueiro Victor Ramos e mandou para as redes.

O Vitória, desta vez, respondeu rápido. Allano acertou a mão na bola dentro da área e o árbitro anotou o pênalti, aos 13 minutos. Diego Renan, que já convertera penalidade no jogo de domingo, voltou à carga nesta quarta ao repetir a dose: 1 a 1.

Depois do empate, o time da casa partiu para o ataque, tentando impor pressão. Preocupado, Paulo Bento resolveu queimar uma de suas substituições antes mesmo do intervalo. E, aos 31, Arrascaeta entrou no lugar de Alex, para dar maior consistência ao meio-campo cruzeirense. A mudança deu resultado e o próprio Arrascaeta iniciou jogada que quase gerou o segundo gol dos visitantes, aos 37.

A etapa final começou com chances de gol para os dois lados, embora o Cruzeiro exibisse certa superioridade. O segundo gol cruzeirense parecia próximo até que Allano levantou demais o pé em dividida com Vander. Levou o segundo cartão amarelo e foi expulso de campo, deixando o Cruzeiro em desvantagem numérica na partida, aos 14 minutos.

O confronto, então, voltou ao equilíbrio. Mas foi por pouco tempo. Aos 26, Arrascaeta descolou grande passe para Willian, que invadiu a área e bateu na saída do goleiro Caíque. Daí em diante o Cruzeiro se segurou na defesa e não teve maiores dificuldades para conter as poucas investidas do ataque baiano até o apito final.