22°
Máx
17°
Min

“Considero o Danilo como um filho”, diz Tencati

(foto: Heloisa Pedrosa/Rede Massa) - “Considero o Danilo como um filho”, diz Tencati
(foto: Heloisa Pedrosa/Rede Massa)

O técnico do Londrina, Cláudio Tencati, concedeu entrevista coletiva na manhã desta terça-feira (29) uma entrevista coletiva para comentar a tragédia da queda do avião em que estava a delegação da Chapecoense na madrugada desta terça-feira (29), na cidade de La Unión, próximo a Medellín, na Colômbia.

Tencati era muito próximo do goleiro Danilo, que chegou a ser dado como morto pela Cruz Vermelha, mas a entidade colombiana voltou atrás afirmando que ele ainda está vivo.

“Considero o Danilo como um filho. Vi este menino crescer, espero que ele esteja vivo”, disse o treinador, que conversou com os parentes do goleiro em Cianorte.

 “Eu vi o Danilo com 10 para 11 anos, idade do meu filho. Foram etapas da vida dele que participei de todas. Brincava que eu era o segundo pai, inclusive no sentido de puxar a orelha, motivar, brincar. A gente tinha um vínculo muito forte”, disse o comandante alviceleste.

O caminho dos dois se cruzou em Cianorte, entre os anos de 1994 e 1995. Sete anos depois, Tencati foi responsável por dar a primeira chance a Danilo em um clube profissional.

 Ele atuava como preparador físico e, com a demissão de outro treinador, teve oportunidade de comandar o time em dois jogos como interino, escalando o então novato. “É uma vida junto. Desde 2002 até 2008 no Cianorte, quando eu saí e ele optou por sair também. Fomos trabalhar juntos em Paranavaí em 2009, perdemos o vínculo e fomos nos reencontrar em 2011 no Londrina”, relembra Tencati, reforçando a seriedade do goleiro nos treinamentos. “Profissionalmente não tinha limites. A gente via a dedicação, a confiança que ele tinha. Em todos os clubes que passou, deixou marcas importantes”.