24°
Máx
17°
Min

Corinthians dá o troco no Cerro, recupera a ponta e encaminha vaga às oitavas

(Foto: Divulgação)  - Corinthians dá o troco no Cerro, recupera a ponta e encaminha vaga às oitavas
(Foto: Divulgação)

Pressionado a vencer o Cerro Porteño, o Corinthians conquistou um resultado valioso nesta quarta-feira em Itaquera. Ganhou por 2 a 0, com autoridade, e retomou à liderança do Grupo 8 da Copa Libertadores, com nove pontos, ao superar o mesmo rival que o derrotou por 3 a 2, na semana passada, no Paraguai. A classificação às oitavas de final fica bem mais próxima porque o time encerra a fase de grupos, em casa, diante do Cobresal, lanterna e rival mais fraco da chave. Antes pega o Santa Fé, em Bogotá, no dia 6 de abril.

Jogar em Itaquera faz toda a diferença para o Corinthians. Apoiado por mais de 42 mil torcedores, em nenhum momento foi ameaçado ou teve o resultado sob risco. Foi a melhor, ou pelo menos a mais regular, apresentação do time na Libertadores. Tite conseguiu montar um time superando as ausências de André e Rodriguinho, suspensos. Além, claro, da perda de Elias, machucado.

Dois jogadores que entraram no time neste ano, já após o desmanche, comandaram o alvinegro. Lucca fez um e foi responsável pelo segundo gol (Mareco fez contra). Outra grata surpresa: Maycon, garoto que despontou na Copa São Paulo, foi titular nesta quarta. E ele jogou exatamente como Elias, abrindo espaço no meio-campo como elemento surpresa.

O JOGO - O Corinthians começou o jogo com força total, como exigem as partidas decisivas. Aos 4 minutos, já carimbou a trave. Este foi o cartão de visitas de Maycon. E a medida em que o tempo passava, pressão no Cerro Porteño. Sem lembrar em nada a semana passada, quando os paraguaios conseguiram envolver o Corinthians em alguns bons momentos do jogo. Díaz, que deixou Felipe atordoado em Assunção, nesta quarta foi anulado dentro de campo.

Aos poucos, o Corinthians passou a errar menos passes, pavimentando o caminho do gol. Auxiliado por Giovanni Augusto, Fagner encontrava liberdade pela direita. Já Lucca imprimia seu ritmo de jogo pela esquerda. No meio de campo, Maycon soube furar a marcação, assim como Guilherme. Coube a Luciano o papel de centroavante, atuando com mais mobilidade que André.

Esse tropa de Tite sufocou o Cerro até, enfim, abrir o placar aos 22 minutos. A jogada começou pela direita, passando por Fagner e Bruno Henrique, que chutou travado e fez com a que bola percorresse a área. Lucca não perdoou: 1 a 0. Essa foi apenas uma das tantas finalizações que o time criou nos primeiros 45 minutos de jogo. Ao menos três delas com perigo ao gol de Anthony Silva.

Já o Cerro, em toda a primeira etapa, não foi além de um chute rasteiro que obrigou Cássio a trabalhar. Nada a ver com a atuação Felipe atordoado em Assunção, foi neutralizado em Itaquera. Beltrán, que havia marcado dois gols semana passada, só entrou no segundo tempo.

Na volta do intervalo, o Corinthians sabia que o placar, apesar de favorável, era perigoso. Era preciso ampliar o marcador para não terminar a partida na base do nervosismo, do sufoco, algo tão característico da Libertadores. A blitz do time de Tite continuou. O Cerro também foi obrigado buscar o empate e isso facilitou a vida do Corinthians.

Em menos de 15 minutos da etapa final, era nítida a superioridade do Corinthians - é bom lembrar que a derrota em Assunção aconteceu num segundo tempo polêmico devido às expulsões de André e Rodriguinho. Nesta quarta, nada se falou da arbitragem do argentino Patrício Loustau, que aplicou cartões corretamente.

O Corinthians definiu o jogo aos 16 minutos do segundo tempo. Lucca dominou a bola e tentou cruzar. O zagueiro Mareco tentou desviar e colocou a bola para dentro do gol, enganando o goleiro Anthony Silva. Gol de sorte, é verdade, mas que confirmou a superioridade corintiana dentro de campo. O resultado, agora, já estava garantido.

FICHA TÉCNICA

CORINTHIANS 2 X 0 CERRO PORTEÑO

CORINTHIANS - Cássio; Fagner, Felipe, Yago e Uendel; Bruno Henrique (Willians), Maycon, Giovanni Augusto (Alan Mineiro), Guilherme e Lucca; Luciano (Danilo). Técnico: Tite.

CERRO PORTEÑO - Anthony Silva; Bonet, Mareco, Valdez e Júnior Alonso; Oviedo, Rodrigo Rojas, Jorge Rojas e Díaz (Fabbro); Estigarriba (Beltrán) e Leal (Ortigoza). Técnico: César Farias.

GOLS - Lucca, aos 23 minutos do primeiro tempo; Mareco (contra), aos 16 do segundo.

ÁRBITRO - Patricio Loustau (ARG).

CARTÕES AMARELOS - Luciano, Mareco, Fagner e Mareco.

PÚBLICO - 42.403 pagantes.

RENDA - R$ 2.751.709,00.

LOCAL - Itaquerão, em São Paulo (SP).