Você poderá alterar sua localização a qualquer momento clicando aqui.
Ocultar   |   Alterar cidade
Você está vendo conteúdo de Curitiba e região.
Ocultar   |   Alterar cidade

Corinthians perde para o Cruzeiro e não se classifica para Libertadores

Corinthians perde para o Cruzeiro e fica fora da Libertadores 2017

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Não deu para o Corinthians. O clube alvinegro chegou na 38ª rodada do Campeonato Brasileiro precisando vencer o Cruzeiro, no Mineirão, e torcer contra Atlético-PR ou Botafogo.

Nem ao menos o seu papel a equipe paulista conseguiu cumprir. A partida terminou 3 a 2 para o time mineiro. Nas outras, Atlético-PR empatou em 0 a 0 com o Flamengo e o Botafogo venceu o Grêmio por 1 a 0.

Com a derrota, o time comandado pelo técnico Oswaldo de Oliveira terminou o torneio na sétima posição, com 55 pontos e menos de 50% de aproveitamento dos pontos disputados.

Já a equipe de Mano Menezes -suspenso pela expulsão contra o Internacional na última rodada- acaba o campeonato em 12º, com 51 pontos e a classificação para a Copa Sul-Americana.

O JOGO

O Raposão, mascote do time mineiro, entrou em campo com a camisa da Chapecoense, assim como os torcedores mirins. Bandeiras de Brasil, Chape e Colômbia, país que se mostrou solidário com a tragédia do time de Santa Catarina, foram estendidas no meio do gramado. Nas arquibancadas, camisas e faixas com "#forçachape" e gritos de "Vamo Vamo Chape" puderam ser vistos e ouvidos.

O Corinthians carregou em seu peito o distintivo da equipe catarinense e o Cruzeiro também. Com jogadores intercalados e jornalistas em um círculo no meio de campo, foi respeitado um minuto de silêncio.

O Cruzeiro começou pressionando a equipe alvinegra. Quando conseguiu chegar pela primeira vez no gol adversário, o Corinthians viu a equipe mineira quase marcar em contra-ataque. Robinho lançado pelo lado direito bateu cruzado de fora da área e a bola passou raspando a trave direita de Walter.

Aos 5min, depois de um chutão do zagueiro Manoel, Arrascaeta recebeu sozinho e marcou de cabeça. Mas não valeu. A arbitragem sinalizou impedimento.

Dois minutos depois, o lateral esquerdo Uendel cobrou escanteio na cabeça de Rodriguinho, que com um leve desvio deixou Guilherme, em posição legal, livre para abrir o placar. O gol veio em um momento em que o Cruzeiro era melhor.

O time celeste chegou ao empate aos 23min do primeiro tempo, com Arrascaeta. O nono gol do uruguaio no Brasileiro veio de jogada de Rafael Sobis, que tocou para Robinho encontrar o camisa da 10 cruzeirense sozinho.

Depois dos 30 primeiros minutos, a equipe de Minas intensificou a blitz na área corintiana, mas sem efetividade. Quando tinha a posse de bola, o time alvinegro trocava passes, mas sem criar jogadas de perigo.

Lance de emoção só aos 38min, em uma bicicleta de Allison. A bola passou perto do travessão corintiano. Com dificuldade para finalizar, o clube paulista chegava apenas na bola parada com Uendel.

O Cruzeiro foi superior no primeiro tempo. Atacou e finalizou mais que o Corinthians, mas não soube aproveitar o maior volume de jogo. Já a equipe do técnico Oswaldo de Oliveira mostrou sérias dificuldades em acertar a marcação.

No intervalo, saíram do time corintiano Romero e Camacho para as entradas de Giovanni Augusto e Guilherme Arana, em uma tentativa de fortalecer a marcação e ser mais efetivo no campo de ataque.

As alterações surtiram efeito, pelo menos em um primeiro momento. Com um minuto da segunda etapa, Giovanni Augusto passou para Rodriguinho que, dentro da área, encobriu o goleiro Rafael. Porém, de forma correta, a arbitragem anulou.

O gol corintiano veio pouco tempo depois, aos 9min, com Marlone, após boa jogada de Fagner e Rodriguinho. Com a vitória parcial e o empate em 0 a 0 entre Atlético-PR e Flamengo, em Curitiba, o Corinthians, naquele momento, classificava-se para a Libertadores.

Mas a alegria corintiana durou pouco. Aos 9min, Ezequiel, de primeira, empatou novamente, e logo depois, Robinho (11min), em outro rápido contra-ataque cruzeirense, recebeu de Allison, cortou o volante Guilherme Arana e virou a partida.

O time alvinegro, apático, não se achava em campo. Arana parecia abalado pela falha no gol do Cruzeiro. O jogador corintiano mais consciente em campo foi Marlone. Mas era tarde para reagir. Em sétimo, ao Corinthians restou a classificação para a Sul-Americana do próximo ano.

CRUZEIRO

Rafael, Ezequiel, Léo, Manoel e Edimar; Henrique e Ariel Cabral; Arrascaeta (Willian), Robinho, Alisson (Rafinha); Rafael Sóbis (Marcos Vinícius)

T.: Sidnei Lobo (Mano Menezes suspenso)

CORINTHIANS

Walter, Fágner, Balbuena, Vilson e Uendel (Léo Jabá); Cristian e Camacho (Guilherme Arana); Rodriguinho, Marlone e Romero (Giovanni Augusto); Guilherme

T.: Oswaldo de Oliveira

Estádio: Mineirão, em Belo Horizonte (MG)

Árbitro: Wagner Reway (MT)

Cartões amarelos: Edimar, Ezequiel (CRU); Vilson, Balbuena, Guilherme, Guilherme Arana (COR)

Gols: Guilherme, aos 7 min do primeiro tempo; Arrascaeta, aos 23 min do primeiro tempo; Marlone, aos 9 min do segundo tempo; Ezequiel, aos 11 min do segundo tempo; Robinho, aos 13 min do segundo tempo