23°
Máx
12°
Min

Corinthians vence fácil em Ribeirão Preto e volta a ser o melhor do Paulistão

A paz está de volta ao Corinthians. A boa e tranquila vitória sobre o Botafogo acabou com a desconfiança após duas derrotas seguidas. Sossego garantido com gols dos coadjuvantes Felipe, Danilo e Maycon, que tiveram tarde de protagonistas em Ribeirão Preto num ótimo 3 a 0 diante de um rival frágil. Líder do Grupo D, o time recuperou, ainda, a melhor campanha no Campeonato Paulista, agora com 20 pontos somados em nove jogos.

Felipe foi um dos poucos titulares a não deixar o Corinthians após a conquista do Campeonato Brasileiro. Até teve sondagem de franceses e italianos, mas optou pela permanência. Neste domingo, o zagueiro foi um dos poucos titulares em campo em Ribeirão Preto. Fominha, não gosta de descanso e, além de ajudar atrás, anotou o gol que abriu caminho ao triunfo.

O zagueiro aproveitou um rebote na área e soltou a bomba para estufar as redes de Neneca. Danilo usou a cabeça, sua arma, para mostrar que pode ser o substituto do suspenso André na quarta-feira, diante do Cerro Porteño, e Maycon fechou o placar aparecendo na frente e se candidatando ao lugar de Rodriguinho no duelo pela Copa Libertadores.

Tite saiu plenamente satisfeito de campo, pela apresentação e pelo resultado. Mas nada de se iludir. O Botafogo não serve de parâmetro para duelos mais fortes no ano. Valeu pelas observações do técnico.

E foram muitas. De olho em duelo importante na Libertadores, quarta-feira, diante do Cerro Porteño, Tite resolveu dar descanso a sete titulares: Cássio, Fagner, Yago, Bruno Henrique, Lucca, Rodriguinho e André. Os dois últimos até poderiam jogar, pois vão cumprir suspensão diante dos paraguaios.

Contudo, o treinador resolveu deixar a dupla de fora e observar as opções para a vaga: Willians ou Maycon (Elias ainda se recupera de lesão) e Luciano ou Danilo (um deles será o centroavante). Além de ver se Uendel recuperaria o bom futebol.

Apesar da importância do jogo diante do Cerro Porteño em sua arena, que valerá a recuperação, ou não, da liderança da chave, a ordem era "esquecer" a Libertadores. Com duas derrotas seguidas, novo tropeço poderia tumultuar o ambiente para a "decisão".

Os jogadores escolhidos entenderam bem a ordem do chefe. E mostraram dedicação diante de um Botafogo apenas esforçado. Sentindo-se em casa pelo bom apoio da torcida, o remendado Corinthians parecia jogar junto há tempos. Boas tramas pelas laterais, triangulações e, o melhor, finalizações aos montes.

O domínio dos 45 minutos iniciais foi gritante. Um duelo de ataque contra defesa no qual Neneca, veterano de 35 anos, trabalhou acima do habitual. Defesas importantes em cabeçada de Guilherme e no chute forte de Giovanni Augusto. A muralha ruiu apenas na bomba de Felipe, de dentro da área. Não havia nada para ser feito no lance, logo aos 16 minutos.

O 1 a 0 no intervalo acabou barato para os botafoguenses, que apenas apostaram em contragolpes sem perigo. E injusto a quem teve grandes chances.

Mas a justiça no marcador veio rapidamente na etapa final. Cruzamento de Uendel e cabeçada certeira de Danilo, aos 3 minutos. Um gol logo após o Botafogo reclamar um suposto pênalti no qual Felipe, um dos destaques da partida, encostou somente na bola.

O Botafogo, então, lançou-se ao ataque. De qualquer maneira. Um erro diante de rival com contragolpe mortal. Desguarneceu a defesa e foi punido novamente. Maycon aproveitou o rebote de Neneca, aos 26, para definir de vez a vitória corintiana.

Maycon e Danilo mostraram que podem ser os escolhidos de Tite, já Luciano ficou devendo futebol e Willians tem de ser menos afoito. Tite certamente desfez a dúvida para quarta-feira. Mas deve fazer mistério.

FICHA TÉCNICA

BOTAFOGO 0 X 3 CORINTHIANS

BOTAFOGO - Neneca; Daniel Borges, Caio Ruan, Mirita e Jussandro (Diego Pituca); Rodrigo Thiesen, Moradei, Danilo Bueno e Allan Dias (Serginho); Diogo Campos e Alemão (Nunes). Técnico: Márcio Fernandes.

CORINTHIANS - Walter; Edilson, Felipe, Balbuena e Uendel; Williams; Maycon, Giovanni Augusto (Lucca), Guilherme (Alan Mineiro) e Danilo; Luciano (Romero). Técnico: Tite.

GOLS - Felipe, aos 16 minutos do primeiro tempo; Danilo, aos 3 e Maycon aos 20 do segundo.

ÁRBITRO - Rodrigo Guarizo do Amaral.

CARTÕES AMARELOS - Danilo Bueno e Mirita.

RENDA - R$ 548.850,00

PÚBLICO - 11.091 pagantes

LOCAL - Estádio Santa Cruz, em Ribeirão Preto.