28°
Máx
17°
Min

Cristiano Ronaldo marca, iguala recorde e garante Portugal na decisão da Eurocopa

(Foto: Divulgação/FPF) - Cristiano Ronaldo marca e garante Portugal na decisão da Eurocopa
(Foto: Divulgação/FPF)

Cristiano Ronaldo nem precisou de uma atuação de gala. Apesar de não fazer grandes jogadas, marcou um gol de cabeça, deu assistência para outro e garantiu Portugal na decisão da Eurocopa com uma vitória por 2 a 0 sobre País de Gales, nesta quarta-feira, no Stade de Lyon, em Lyon, na França.

De quebra, chegou a nove gols na competição continental e se juntou ao francês Michel Platini como principal artilheiro da história do torneio. É a segunda final de Eurocopa dos portugueses. Em 2004, perderam a decisão em casa para a Grécia. Agora, aguardam pelo vencedor do duelo entre França e Alemanha, que acontecerá nesta quinta-feira, às 16 horas (de Brasília), em Marselha, para saber quem enfrentarão na final de domingo, no Stade de France, em Saint-Denis.

A partida teve um primeiro fraco, com raras chances de gol. País de Gales sentiu a ausência do meia Ramsey, suspenso, e quase não incomodou o goleiro adversário. Portugal, apesar de estar sem o zagueiro Pepe, machucado, conseguiu abrir o placar em jogada de bola parada no início da etapa final. Após cobrança de escanteio, Cristiano Ronaldo fez de cabeça. O segundo veio na sequência, com Nani.

Os galeses não se encontraram. O atacante Gareth Bale, principal estrela do time, criou algumas oportunidades, mas encontrou dificuldade na forte marcação adversária e pouco fez quando o time passou a ficar atrás do marcador.

Foi a primeira vitória dos portugueses na atual competição - a equipe vinha de cinco empates consecutivos. Nas oitavas de final, eliminou a Croácia ao conseguir o gol da classificação na prorrogação. E nas quartas eliminou a Polônia nos pênaltis. País de Gales se despede com a melhor campanha em competições de sua história. Até então, o melhor resultado foi as quartas de final na Copa do Mundo de 1958, quando foi eliminada pelo Brasil.

O JOGO - As duas equipes entraram em campo com importantes desfalques. Portugal não tinha o zagueiro Pepe, machucado. E País de Gales não pôde contar com o meia Ramsey, suspenso pelo segundo cartão amarelo. Os galeses sentiram mais a ausência de seu jogador. Começaram a partida sem criatividade no meio de campo apenas observando os portugueses tocarem a bola no campo ofensivo de um lado para o outro, mas sem conseguir chegar ao gol. Cristiano Ronaldo tentou duas arrancadas e reclamou de falta. Na segunda delas, João Mário continuou a jogada pelo lado direito e bateu cruzado com perigo.

Gareth Bale acordou para o jogo com quase 20 minutos. Primeiro fez boa jogada pela esquerda, cruzou e ganhou escanteio. Na sequência, recebeu passe na área e bateu com perigo. Pela direita, avançou em velocidade, sua principal característica, e chutou para a primeira defesa de Rui Patrício.

As equipes se estudavam bastante. Não se arriscavam, preocupados em levar o contra-ataque. Cristiano Ronaldo passou a voltar um pouco para buscar jogo, mas mesmo assim as chances de gol eram raras. Aos 43 minutos, o astro português teve a sua principal oportunidade. Após cruzamento de Adrien Silva, ele desviou de cabeça por cima do gol.

O segundo tempo dava a impressão de mais do mesmo, quando Portugal conseguiu abrir o marcador graças a duas jogadas de bola parada. Primeiro a cobrança de falta na área, houve desvio da zaga e a bola saiu para escanteio. Na cobrança, João Mário rolou para Raphael Guerreiro, que cruzou na segunda trave. Cristiano Ronaldo apareceu e cabeceou firme para as redes. Foi o nono gol dele em Eurocopa, igualando o recorde na artilharia do francês Michel Platini.

País de Gales nem teve tempo para buscar a reação e levou o segundo. Portugal foi novamente ao ataque. A zaga tentou afastar o perigo e a bola caiu novamente nos pés de Cristiano Ronaldo. Ele bateu cruzado e Nani desviou de carrinho enganando o goleiro Hennessey.

O técnico de País de Gales, Chris Coleman, foi então para o tudo ou nada ao tirar o volante Ledley para a entrada do atacante Vokes. Mas não surtiu muito efeito. Os galeses não conseguiam passar pela marcação adversária. E quem teve boa chance de ampliar foi Portugal. Aos 17 minutos, Cristiano Ronaldo cobrou falta com muito perigo.

Bale tentava por todos os lados. Passou arriscar de longe mesmo. Em dois chutes de fora da área, obrigou Rui Patrício a fazer boas defesas. Portugal aproveitava os espaços deixados pelo adversário em sua defesa para matar o jogo. Aos 32 minutos, Danilo Pereira invadiu a área, chutou, Hennessey defendeu parcialmente, a bola foi lentamente rolando para o gol, mas o goleiro se recuperou e fez nova defesa.

No final, Cristiano Ronaldo ainda teve boa chance de se tornar o principal artilheiro da história da Eurocopa. Em contra-ataque, ele recebeu pela direita e tocou para fora na saída do goleiro.

FICHA TÉCNICA

PORTUGAL 2 x 0 PAÍS DE GALES

PORTUGAL - Rui Patrício; Cédric, José Fonte, Bruno Alves e Raphael Guerreiro; Danilo Pereira, Adrien Silva (João Moutinho), Renato Sanches (André Gomes) e João Mário; Nani (Quaresma) e Cristiano Ronaldo. Técnico: Fernando Santos.

PAÍS DE GALES - Hennessey; Chester, Ashley Williams e Collin (Jonathan Williams); Gunter, Ledley (Vokes), Allen, Andy King e Neil Taylor; Gareth Bale e Robson-Kanu (Church). Técnico: Chris Coleman.

GOLS - Cristiano Ronaldo, aos 4, e Nani, aos 7 minutos do segundo tempo.

CARTÕES AMARELOS - Bruno Alves e Cristiano Ronaldo (Portugal); Allen, Chester e Gareth Bale (País de Gales).

ÁRBITRO - Jonas Eriksson (Fifa/Suécia).

RENDA E PÚBLICO - Não disponíveis.

LOCAL - Stade de Lyon, em Lyon (França).