22°
Máx
16°
Min

Em BH, Cruzeiro derrota o Campinense e avança à segunda fase da Copa do Brasil

(Foto: Divulgação)  - Em BH, Cruzeiro derrota o Campinense e avança à segunda fase da Copa do Brasil
(Foto: Divulgação)

Não foi fácil, mas o Cruzeiro conseguiu nesta quinta-feira a sua classificação à segunda fase da Copa do Brasil. Depois de empatar sem gols na Paraíba, o time celeste precisava vencer no estádio do Mineirão, em Belo Horizonte, e com dificuldades fez 3 a 2 no Campinense, pela rodada de volta da fase inicial da competição nacional.

Na próxima semana, já pela rodada de ida da segunda fase, o Cruzeiro terá pela frente o Londrina, que eliminou o Parauapebas-PA. O jogo deverá acontecer no estádio do Café, na cidade de Londrina, no norte do Paraná. A volta, em Minas Gerais, está marcada inicialmente pela CBF para o próximo dia 19, mas ela poderá não acontecer se o clube mineiro vencer na ida por dois ou mais gols de diferença.

Esta foi a primeira partida do Cruzeiro sem o técnico Deivid, demitido há 10 dias após a eliminação nas semifinais do Campeonato Mineiro para o América. Ainda sem o substituto contratado, o time mineiro teve o auxiliar Geraldo Delamore no banco de reservas.

Da mesma forma que acontecia com Deivid, o Cruzeiro mostrou falhas defensivas nesta quinta-feira contra o Campinense. Fez 1 a 0 com Allano, de cabeça, aos 17 minutos, mas pouco antes do intervalo, aos 39, sofreu o empate com o centroavante Adalgiso Pitbull. O resultado eliminava a equipe da casa e, por isso, vaias foram ouvidas no Mineirão na saída dos jogadores aos vestiários.

Na segunda etapa, o talento de seus homens de criação ajudou o Cruzeiro a garantir a classificação. O meia uruguaio De Arrascaeta marcou em cobrança de falta, logo aos quatro minutos, e William, em um contra-ataque mortal, fez o terceiro aos 30. Mas aí a defesa falhou mais uma vez e Adalgiso Pitbull diminuiu para o Campinense, aos 42, gerando apreensão ao torcedor, já que o empate valia aos paraibanos.

Por sorte, o Campinense teve só mais uma chance, aos 46, em que o goleiro Gledson foi ao ataque e teve de voltar desesperado para a defesa em um contra-ataque do Cruzeiro. Teve que fazer falta em Pisano na entrada da área e foi expulso, acabando com qualquer esperança paraibana no Mineirão.