22°
Máx
16°
Min

Em Comitê de Reformas da CBF, maioria dos integrantes é ligada à entidade

A CBF reúne pela primeira vez na tarde desta quinta-feira seu Comitê de Reformas do Futebol Brasileiro, órgão formado por 17 pessoas com a finalidade de efetuar "avanços significativos na estrutura do futebol brasileiro", incluindo a reforma no estatuto da entidade. O grupo conta com a presença de ex-jogadores da seleção, mas quase metade do comitê é formado por dirigentes da própria CBF ou de federações estaduais.

O presidente licenciado da CBF, Marco Polo Del Nero, e o presidente em exercício, Antônio Carlos Nunes, não compõe a nominata oficial do comitê, mas foi o coronel Nunes quem assinou a portaria que estabeleceu a criação do órgão.

Segundo a CBF, o comitê irá trabalhar na reforma do Estatuto da entidade e na implementação do Código de Ética e do Comitê Disciplinar do Futebol Brasileiro. Licenciamento de clubes, calendário, responsabilidade social, futebol feminino e categorias de base também serão debatidos pelo comitê.

De acordo com comunicado divulgado pela CBF, o Comitê de Reformas terá autonomia para "discutir e apontar mudanças", que deverão ser implantadas até o final deste ano. No material divulgado pela entidade não há, contudo, nenhum item que trata da obrigatoriedade de se implantarem as eventuais reformas.

Os membros do comitê que não fazem parte do quadro de empregados da CBF serão remunerados - o valor não foi informado. O grupo poderá sofrer mudanças em sua composição, nos casos de sucessivas ausências de algum de seus integrantes ou por destituição aprovada por maioria.

Confira a lista com os integrantes do Comitê de Reformas:

- Álvaro Melo (advogado)

- Ana Paula Oliveira (diretora-secretária da Escola Nacional de Arbitragem de Futebol e ex-auxiliar de arbitragem)

- André Ramos Tavares (advogado, especialista em direito desportivo)

- Caio Cesar Vieira Rocha (presidente do Superior Tribunal de Justiça Desportiva)

- Carlos Alberto Parreira (ex-treinador da seleção)

- Carlos Alberto Torres (ex-jogador da seleção)

- Carlos Augusto de Barros e Silva (presidente do São Paulo)

- Carlos Eduardo Pereira (presidente do Botafogo)

- Castellar Modesto Guimarães Neto (presidente da Federação Mineira de Futebol)

- Ednaldo Rodrigues Gomes (presidente da Federação Bahiana de Futebol)

- José Edmilson Gomes de Moraes (ex-jogador da seleção)

- Leomar Quintanilha (presidente da Federação Tocantinense de Futebol)

- Luiz Felipe Santoro (advogado, especialista em direito desportivo)

- Miraildes Maciel Mota, a Formiga (jogadora da seleção feminina)

- Ricardo Roberto Barreto da Rocha (ex-jogador da seleção)

- Rogério Langanke Caboclo (diretor-executivo de Gestão da CBF)

- Walter Feldman (secretário-geral da CBF)