22°
Máx
17°
Min

Em defesa, advogados de Neymar negarão denúncia de corrupção entre particulares

(Foto: Marcelo Camargo/ Agência Brasil) - Em defesa, advogados de Neymar negarão denúncia de corrupção entre particulares
(Foto: Marcelo Camargo/ Agência Brasil)

Os advogados de Neymar vão apresentar na próxima semana a defesa do jogador, de seus pais, e da N&N Consultoria Esportiva, no processo que corre na Justiça espanhola em que a DIS requer 40% do valor da transferência para o Barcelona. Eles sustentam que, ao contrário do que divulgado durante a semana, o craque e seu pai não foram denunciados por corrupção entre particulares, crime sujeito a pena de seis meses a dois anos de prisão.

O processo da DIS contra o jogador, seus pais e a empresa na Espanha já se arrasta há algum tempo. A empresa que pertence ao grupo Sonda pleiteia receber uma indenização que atingiria 65 milhões de euros, por considerar ter direito a 40% da negociação que levou Neymar ao clube espanhol, com base em contrato assinado em 2009.

Esse porcentual incidiria também sobre os 10 milhões euros pagos em 2011 que deram preferência ao Barcelona sobre Neymar, aos 30 milhões complementares da transação realizada em 2013 e aos valores dos amistosos entre Barcelona e Santos, preferência do clube espanhol na contratação de jogadores do time brasileiro e até em ganhos futuros de Neymar.

Porém, de acordo com a linha de defesa de Neymar, a qual o Estado de S. Paulo teve acesso, não existe denúncia. O processo continua na fase inicial de investigação e instrução. A manifestação do Ministério Público, por meio do procurador José Perals, teve o objetivo de pedir ao juiz do caso para que o processo vá para uma fase intermediária.

Até agora, o Ministério Público da Espanha não se manifestou sobre o direito da DIS de receber 40% da transação, nem sobre os 10 milhões de euros e nem sobre os 30 milhões. O único parâmetro decidido foi o teto de 3,3 milhões de euros, a serem pagos por Santos e Barcelona, pela realização de contratos de convênio com a base e amistosos.

Ainda segundo a defesa do jogador, de seus familiares e da empresa, o MP entende que Neymar e seu pais não têm relação com os contratos firmados entre Barcelona e Santos para realização de amistosos e na preferência dada ao clube espanhol pelo brasileiro na contratação de jogadores. Também restringiu a prática do crime de estafa, que prevê pena alta, aos clubes e a seus dirigentes.

Neymar e seu pai, no entanto, podem vir a ser denunciados. Isso acontecerá se o juiz, na fase intermediária do processo, entender que ocorreu crime de corrupção entre particulares, pelo recebimento de 10 milhões de euros em 2011, que garantiu ao Barcelona a preferência para contratar o jogador.