23°
Máx
12°
Min

Exposição no Museu Histórico traz memórias do futebol londrinense

(foto: Divulgação) - Exposição no Museu Histórico traz memórias do futebol londrinense
(foto: Divulgação)

“Do Quebra Canela ao Tubarão – memórias do futebol londrinense”, é o tema da exposição inédita que será aberta no dia 24 de maio, às 18 horas, no Museu Histórico de Londrina. A exposição é composta por 65 imagens, objetos e documentos, ocupando as três salas de Mostra Temporária do Museu.

A sala 1 trata dos primórdios do futebol na cidade, essencialmente amador, com fotos que registram times e jogos do período de 1930 a 1950. Também terão objetos remetendo aos tempos do rádio e da imprensa escrita. Outro objetos como chuteiras, faixas de campeão, medalhas, estarão presentes.

A segunda sala  trata das modalidades do futebol suiço e do futebol de salão. As duas modalidades tiveram destaque através dos clubes sociais da cidade e dos Jogos Abertos do Paraná. Objetos que tratam do Iati Clube, grande destaque do futebol suiço, taça dos Jogos Abertos do Paraná e do futsal terão presença. As fotos são dos anos 60 a 80.

A terceira e última sala mescla fotos do futebol amador das décadas de 1960 a 1980 com o Londrina Esporte Clube. Este último tem destaque, pois terão objetos do clube, como carteirinhas de grandes ídolos, uniformes, bolas, fotos dos grandes momentos e os principais troféus. O Londrina Esporte Clube comemora seus 60 anos em 2016, portanto, esta exposição está dentro do contexto de comemorações desta efeméride. Sendo que existe registro desde os anos 1960 a até o último título conquistado pelo LEC, em 2014.

A exposição nasceu da iniciativa do boleiro das “antigas”, José Miguel Ramos, um grande colecionador de fotos de times amadores em Londrina. Dono de um acervo de mais de 450 fotos, quase todas identificadas com os nomes dos jogadores e dos respectivos anos.

Miguel Ramos também é o idealizador do tradicional Encontro Anual dos Boleiros de Londrina, que teve início no ano de 1996, após falecimento do boleiro Zé Ferreira. Miguel teve a idéia de realizar uma reunião de antigos boleiros, ainda em vida, já que percebeu que os antigos amigos de futebol se encontravam “apenas” para ocasiões fúnebres. Por esta razão, Zé Ferreira, é também homenageado nesta exposição.

Segundo organizadores da Exposição, a concepção museográfica que norteou a exposição está baseada em recentes pesquisas históricas, ainda que tímidas, mas que são o “ponta pé” para futuros trabalhos com uma perspectiva ampliada sobre as práticas futebolísticas na cidade de Londrina, devido à escassez de pesquisas referenciais quanto ao assunto na região. Por outro lado, os registros nos mostram uma grande riqueza de times e competições já nos primórdios da cidade. Comércios, colégios, fábricas e instituições religiosas tão logo se estabeleceram, já criaram suas equipes.

O futebol amador teve seu grande momento a partir dos anos 40, com a criação da Liga Regional de Futebol de Londrina, mas não deixou de existir e ocupar seu espaço, até os dias atuais. Outras modalidades entraram em cena e conquistaram o coração dos londrinenses, como o futebol de salão e o futebol suíço, movimentando os grandes clubes da cidade e um público fiel.

Nos anos 50 inicia uma nova fase com a chegada do Londrina Esporte Clube (LEC), quando o futebol profissional se estabelece de modo perene. Esta novidade significou a possibilidade de uma representação em nível Estadual, e mesmo Nacional. O clube chegou ao seu auge em fins dos anos 70, causando grande êxtase na população. Porém, suas primeiras conquistas já ocorreram nos primeiros tempos de atividade profissional. Em 2016, o LEC comemora seus 60 anos em grande estilo, com um Museu a ser inaugurado ainda dentro desta efemeridade.

O clube contribui com esta exposição para marcar seu compromisso com o resgate e a preservação de sua memória, tão rica e cheia de significados, que por muitas vezes, se confunde com a própria história da cidade.

O Museu fica na Rua Benjamin Constant, 900.