22°
Máx
17°
Min

Federação Francesa de Futebol abre portas para volta de Benzema após a Eurocopa

(Foto: Getty Images) - Federação Francesa de Futebol abre portas para volta de Benzema após a Eurocopa
(Foto: Getty Images)

O presidente da Federação Francesa de Futebol, Noel Le Graet, afirmou nesta quarta-feira que Karim Benzema poderá voltar a defender a seleção do país após a disputa da Eurocopa. O atacante do Real Madrid foi descartado desta edição da competição continental, que está sendo realizada no seu país, após um escândalo que envolveu a sua suposta participação em um esquema de extorsão por meio de uma gravação de uma relação sexual de Mathieu Valbuena, seu companheiro de seleção que também ficou fora da convocação para o principal torneio de seleções do futebol europeu.

A decisão de deixar Benzema fora desta Eurocopa foi tomada por Le Graet e pelo técnico da França, Didier Deschamps, que temiam que a presença do jogador no elenco poderia causar polêmica e afetar a harmonia do grupo, assim como provocaria um maior assédio da imprensa aos atletas já pressionados a levarem a seleção do país a uma boa campanha pelo simples fato de estarem disputando a Eurocopa em casa.

Nesta quarta, porém, em entrevista coletiva concedida em Clairefontaine, onde a seleção francesa está concentrada já projetando as oitavas de final da Eurocopa, o dirigente ressaltou que Benzema "não está suspenso por toda vida" do time nacional e disse apostar que o processo que o jogador enfrenta na Justiça será resolvido rapidamente.

"Ele não está entre os 23 (convocados), mas eu desejo que a Justiça possa ir mais rápido. Ele não está suspenso pela vida, eu não acredito em suspensões por toda a vida", ressaltou Le Graet, abrindo as portas para a volta de uma das principais estrelas do futebol da França na atualidade ao time nacional.

Benzema é acusado na Justiça de "cumplicidade em tentativa de chantagem" e "participação em uma associação criminosa", em um dossiê que está sendo julgado pelo Tribunal de Apelação de Versalhes.

Excluído desta Eurocopa, o atacante chegou a dizer, em uma entrevista ao jornal esportivo espanhol Marca, que Deschamps "se curvou à pressão de uma parte racista da França" ao deixá-lo fora da convocação para a competição, na qual ele esperava muito estar presente. "Perder a Copa do Mundo de 2010 na África do Sul foi um revés, mas a Eurocopa em casa é ainda mais difícil. Esta é uma das maiores decepções que tive, sem dúvida", lamentou.

O ex-jogador da França Eric Cantona também acusou Deschamps de deixar o atacante do Real Madrid e Hatem Ben Arfa, um dos principais destaques da última edição do Campeonato Francês, fora da convocação por questões raciais.

Francês de origem argelina, Benzema também disse que contexto político na França, onde a extrema-direita tem ganhado força política ao longo dos últimos anos, joga contra ele. A Frente Nacional, partido de extrema-direita, anti-imigração e liderado por Marine Le Pen, é cada vez mais popular na França, com a expectativa de que vá ao segundo turno na eleição presidencial do próximo ano.

Autor de 27 gols em 81 partidas pela seleção francesa, Benzema também ficou fora da Copa do Mundo de 2010 por causa de seu envolvimento em outro escândalo. Naquela ocasião, não foi convocado por Raymond Domenech, então técnico da França, quando o atacante e Franck Ribery eram alvos de uma ação judicial por terem solicitado os serviços de uma prostituta menor de idade. Ambos foram absolvidos na Justiça na época, mas o jogador do Real Madrid acabou ficando fora do Mundial.